O governador Fábio Mitidieri prestigiou nesta terça-feira, 4, a cerimônia de formatura dos 98 policiais penais do curso de pós-graduação em Direitos Humanos e Execução Penal, que aconteceu no auditório da Universidade Tiradentes (Unit).

A secretária de Estado da Assistência Social, Inclusão e Cidadania, Érica Mitidieri, foi eleita a madrinha da turma. “Escolhemos o nome de Érica por todo o trabalho e dedicação dela nas causas de inclusão e defesa dos Direitos Humanos no estado. Só poderia ser ela”, revelou a secretária de Estado da Justiça e Defesa do Consumidor, Viviane Pessoa, sensibilizada pela façanha dos 98 formandos.

O curso é uma iniciativa inédita no Estado, além de ser a primeira pós-graduação do Brasil focada em Direitos Humanos e Execução Penal. A realização foi possível graças a um convênio entre o Governo do Estado e o Ministério da Justiça e Segurança Pública, por meio de recursos do Fundo Penitenciário (Funpen) e operacionalizado pela Unit.

Durante a solenidade de formatura, o secretário Nacional de Políticas Penais, André Garcia, representou o ministro da Justiça, Ricardo Lewandowski. “Em nome do ministro e do presidente Lula, quero parabenizar todos, que são os primeiros não só no estado de Sergipe, como no Brasil. Não há outra turma de pós-graduação em Direitos Humanos e Execução Penal no país. Só esta de Sergipe”, pontuou André Garcia.

Com a conclusão do curso, os policiais estão aptos a desempenharem suas funções de forma a potencializar a ressocialização e resolução de conflitos junto à população carcerária, em conformidade com a legislação vigente.

“É a formatura de uma turma inédita aqui no estado. Acredito que a Polícia Penal deve estar muito satisfeita também, porque é uma pós-graduação numa área relevante, que vai ajudar na ressocialização. Temos que ter os Direitos Humanos enraizados em nossa conduta. Isso deve estar muito claro dentro de nossa consciência”, declarou o governador Fábio Mitidieri, que foi homenageado pela turma pela contribuição na efetivação do curso.

Honras

Numa cerimônia marcada pela emoção, a mãe do formando D’Klin Cardoso recebeu homenagem em nome do filho, que faleceu antes de concluir o curso. “Só tenho a agradecer à polícia, ao governador e a todos os envolvidos nesse trabalho maravilhoso. Meu filho dizia sempre que a ressocialização é o reconhecimento de cumprimento da pena, e que a pessoa deve seguir em frente. Ele morreu acreditando na causa”, declarou Maria de Fátima, comovendo os presentes.

Os formando Carla Bruni e Sidney Marinho foram os oradores da turma. “Nossas escolhas determinam nosso futuro, e hoje colhemos os frutos do que semeamos ao longo deste ano. Fazer este curso foi um desafio muito grande para todos nós. Foram momentos de dificuldades com algumas disciplinas, especialmente para aqueles cuja graduação não é na área de Direito. Mas vencemos!”, declararam, em discurso.

Fonte, Secom – Estado.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

  • FGTS tem lucro recorde de R$ 23,4 bilhões em 2023

    O Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) teve, [...]

  • POLIOMIELITE: doença não tem tratamento específico, apenas suporte de sintomas; vacinação é a principal prevenção

    A poliomielite é uma doença infectocontagiosa causada pelo poliovírus, que [...]

  • Brasil registrou 166 focos de gripe aviária entre 2022 e 2024

    Entre 2022 e 2024, o Brasil registrou 3.130 suspeitas de [...]

  • Opera Sergipe ultrapassa marca de 14 mil cirurgias realizadas e melhora qualidade de vida dos sergipanos

    Lançado em julho de 2023, com o objetivo de ampliar [...]

  • Governo do Estado repassou mais de R$ 770 milhões para municípios no primeiro semestre

    O Governo de Sergipe repassou, no primeiro semestre deste ano, [...]