A semana política em Aracaju que culminou com o início dos festejos juninos em Sergipe foi marcada, dentre outras coisas, pela confirmação da pré-candidatura da delegada de Polícia, Danielle Garcia (MDB) para prefeita da capital. É a segunda eleição consecutiva que ela disputa o comando da PMA, só que desta vez dentro de uma configuração política completamente diferente do cenário de 2020 quando, diga-se de passagem, ela fazia oposição ao atual prefeito Edvaldo Nogueira (PDT).

Agora, determinada a disputar a eleição, Danielle está se desligando da Secretaria de Estado de Políticas para as Mulheres, onde reunia condições de realizar um bom trabalho, considerando que agora a Pasta possui orçamento próprio para gerir suas ações. Só que, pelo menos por enquanto, ela não conta com o apoio que talvez foi primordial para a sua pré-candidatura: o governador Fábio Mitidieri (PSD) tem compromisso assumido com o projeto de Luiz Roberto (PDT) para a PMA.

Sem o atual prefeito e o governador para impulsionar seu projeto, e sem o velho discurso de oposição que lhe assegurou quase 110 mil votos no 2º turno de 2020, Danielle só em seu favor o apoio dos pré-candidatos a vereador do MDB e de seu “padrinho político” que é o desgastado senador Alessandro Vieira (MDB), avaliado por este colunista como um político odiado pelos bolsonaristas e antipatizado pelos petistas. Se contar seu “estilo carismático”…

Mas se Alessandro aparenta não ter “vida longa” na política, a impressão é que ele ameaça levar Danielle Garcia junto para o “abismo”! Ela, diga-se de passagem, tem um perfil de mais do diálogo, é mais comunicativa e tem pouca rejeição. É um quadro que, bem trabalhado, pode crescer na política do Estado, mas a impressão é que esta não é a sua eleição! Além de nomes mais competitivos e robustos em termos de agrupamento estarem na disputa, Danille já carrega duas derrotas em eleições recentes.

É aí onde este colunista alerta para o “risco” de ela disputar a eleição deste ano. Um novo resultado negativo vai aumentar ainda mais a pressão sobre seus projetos políticos e pode inviabilizá-la definitivamente para 2026. E o pior: diferente do que muita gente acredita, Danielle Garcia “não tira votos” de Emília Corrêa (PL) ou de Yandra Moura (União), mas de Luiz Roberto, do pré-candidato do governador, sem contar que divide ainda mais a base aliada.

Danielle Garcia precisa avaliar o que ela realmente quer fazer e, principalmente, onde ela espera chegar. Foi bem votada para a PMA em 2020, surpreendeu muita gente na disputa pelo Senado Federal em 2022, mas além de construir uma “identidade própria”, ela precisa liderar um agrupamento. Tem potencial e coragem, mas não pode apenas ficar “servindo ao projeto” de “A” ou de “B”. Tem que decidir se quer ser protagonista ou apenas coadjuvante ou figurante no cenário político…

Veja essa!

Sergipe já vive o clima do “País do Forró” com o início dos festejos juninos. Além dos eventos que estão sendo realizados em todo Estado, o Arraiá do Povo este ano detém uma estrutura ainda melhor do que foi feito em 2023. É visível que há mais espaço para o público aproveitar a festa com segurança.

E essa!

O policiamento no local também transmite a necessária sensação de segurança para garantir que a festa seja um sucesso de público e de alegria, além de gerar uma renda extra para centenas de trabalhadores que estarão atuando na festa ou nos seus arredores durante todo o mês de Junho e até meados de Julho.

Reconhecimento

Além das incontáveis atrações artísticas e culturais, o Arraíá do Povo é sim um grande receptivo para turistas que vêm do interior, como também de outros Estados do Nordeste e até do Sul e Sudeste do País. A divulgação antecipada da programação pela Secom além de aumentar a expectativa, também ajudou a impulsionar os diversos setores da cadeia produtiva.

Transferência I

O Governo do Estado e a Prefeitura de Aracaju firmaram um termo de cooperação para que os serviços do Banco de Leite Marly Sarney (BLH) sejam transferidos para o segundo andar da Maternidade Lourdes Nogueira. A partir de terça-feira (4), a mudança será realizada e as instalações do BLH serão utilizadas, temporariamente, para comportar os leitos pediátricos a fim de atender a alta demanda enfrentada pela Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG).

Transferência II

“Ficaremos por 60 dias, podendo ser prorrogado, na Maternidade Lourdes Nogueira, fazendo todo o trabalho de rota, pasteurização do leite e sala de manejo. Além disso, a sala de pediatria será migrada para o Ambulatório de Seguimento (antigo Follow-up), que fica ao lado do anexo do Hospital da Criança. Então, é uma força-tarefa entre a gestão estadual e municipal para podermos melhor atender as crianças com síndromes gripais que tanto necessitam neste momento”, explicou a coordenadora do BLH, Bárbara Reis.

Exclusiva!

O deputado estadual Georgeo Passos (Cidadania) entrou em contato com este colunista para comentar que estranhou a informação de que o Banese (Banco do Estado de Sergipe) não iria patrocinar a tradicional Feira do Caminhão e Festa do Caminhoneiro 2024 organizada todos os anos pela Prefeitura Municipal de Itabaiana, a “Capital Nacional do Caminhão”. Não custa lembrar que o evento reúne turistas de diversas regiões do País e é fundamental para a economia de um dos municípios mais importantes de Sergipe.

Bomba!

A informação do deputado, que já teria consultado o Banese sobre o não patrocínio, é que a Prefeitura de Itabaiana já não mantém a folha de pagamento dos funcionários municipais no Banco do Estado, e sim com a Caixa Econômica Federal. Só que independente desta “guerra do sistema financeiro”, a Feira e a Festa do Caminhão impulsionam o turismo e a cultura popular sergipana, inclusive mais do que muitos outros eventos patrocinados pelo Banese.

Vai convidar

Georgeo Passos vai protocolar um requerimento na Assembleia Legislativa, possivelmente na próxima terça-feira (4) convidando o presidente do Banese para que ele possa ir à Alese e explicar a política de patrocínios do Banco do Estado e quais os critérios adotados para determinados investimentos. O parlamentar quer fazer um comparativo das festas patrocinadas pelo Banese com a Feira e Festa do Caminhão e entender o que gera mais retorno para a instituição e para o governo de Sergipe.

Falando nele

A Assembleia Legislativa votou e aprovou o Projeto de Lei nº 141/2024 que tratou sobre o reajuste para os funcionários da Fundação de Apoio à Pesquisa e à Inovação Tecnológica do Estado de Sergipe (Fapitec/SE). A proposta resolveu uma defasagem salarial dos servidores devido à inflação acumulada de 114,10% nos últimos 13 anos. Para Georgeo Passos o projeto foi importante, contudo, ele cobrou que o Governo do Estado olhe também para outras categorias do funcionalismo, entre elas as Forças de Segurança do Estado.

Georgeo Passos

“Os policiais militares, bombeiros militares e policiais civis não foram contemplados nos últimos projetos enviados. São profissionais que estão nas ruas diariamente, defendendo a população, salvando pessoas. Que estão dando as suas vidas pelos sergipanos e que merecem respeito de todos nós. Se outras categorias foram contempladas com seu merecido reajuste, por que o Estado tem esquecido dos bravos agentes das forças de segurança?”, questionou o deputado.

Laércio Oliveira I

O Jornal da Madeira, de Portugal, publicou que o Congresso Internacional de Municípios Promotores do Empreendedorismo encerrou com a assinatura de um pacto entre municípios e instituições que promovem o empreendedorismo. Ainda na sessão de encerramento, o senador Laércio de Oliveira (PP/SE) desafiou a organização a realizarem um evento nos mesmos moldes na cidade de Aracaju.

Laércio Oliveira II

“A ideia foi bem acolhida por todos e, por proposta do político brasileiro, deverá acontecer nos dias 20 e 21 de junho de 2025, coincidindo com as tradicionais festas juninas, momento de grande celebração entre os brasileiros. Em declarações ao JM, o professor Jacinto Jardim manifestou-se satisfeito com a ideia, adiantando que, de acordo com o pedido realizado, o programa deverá incidir sobre o empreendedorismo social, aquele que visa dar respostas às necessidades das comunidades”, informou o jornal.

Laércio Oliveira III

Conforme disse Laércio Oliveira, em Aracaju a população local é bastante hospitaleira. “Essa semente que todos vocês vão me ajudar a plantar naquela região, apesar da sequidão e do solo causticante em algumas regiões, nós saberemos regá-la para que a gente transforme isso em realidade na vida daquela juventude, ansiosa por dias melhores, como eu que um dia sonhei e realizei”, disse o senador.

Congresso Internacional

O I Congresso Internacional de Municípios Promotores do Empreendedorismo realizou-se essa semana no Centro Cultural e de Investigação do Funchal em modo híbrido (online e presencial), reunindo no total 300 congressistas. Portugal, Brasil, Alemanha, Espanha, Moçambique, Cabo Verde e Colômbia foram os países que acompanharam o evento, marcado pela realização de painéis e pela apresentação de exemplos de boas práticas de empreendedorismo.

Ricardo Marques I

O vereador Ricardo Marques (Cidadania) criticou a forma como os prefeitos da capital e da Grande Aracaju estão conduzindo o processo de licitação do transporte coletivo da região Metropolitana. Após quatro adiamentos foi realizada a reunião do Consórcio Metropolitano para dizer que a versão final do edital só será apresentada daqui a 15 dias.

Ricardo Marques II

“Parece que foi só mais uma reunião para tirar fotos para a imprensa e fazer marketing em grupo. Daqui a 15 dias provavelmente teremos outra reunião. Enquanto isso nas ruas os passageiros sofrem com ônibus sucateados, superlotados, passagem cara e um sistema desatualizado”, diz o vereador. Ricardo Marques reforçou ainda que Aracaju e região necessitam de uma licitação do transporte coletivo que melhore a vida dos passageiros e não lhe cause mais um peso, como aumento da tarifa.

Ricardo Marques III

“Antes de falar em aumento é preciso que as empresas façam sua parte. Em Maceió, por exemplo, onde ocorreu a licitação a frota foi renovada, tem ônibus com ar-condicionado e a tarifa é uma das mais baratas do Brasil, R$ 3,50, com subsídios. Infelizmente aqui, o prefeito Edvaldo Nogueira já adiantou que a tarifa vai para R$ 5, mesmo com subsídios e isenção de ICMS do diesel para as empresas. Isso não será legado, mas dor de cabeça para a próxima gestão”, lamenta o vereador.

Delegada Katarina I

A Câmara dos Deputados aprovou o Projeto de Decreto Legislativo (PDL) 206/24, que trata sobre a suspensão de trechos do decreto presidencial sobre regulamentação de posse e colecionismo de armas e clubes de tiro, atualmente em vigor. A proposta, de autoria do deputado Ismael Alexandrino (PSD/GO) e da deputada Delegada Katarina (PSD/SE), foi aprovada na forma de um substitutivo da relatora, a deputada Laura Carneiro (PSD/RJ), e agora será enviada ao Senado.

Delegada Katarina II

“A aprovação deste projeto é um avanço significativo para desburocratizar o acesso às armas e promover o tiro desportivo no Brasil,” afirmou a deputada Delegada Katarina. “Estamos corrigindo excessos e simplificando regras para colecionadores e atiradores desportivos”, acrescentou.

Arma de Fogo Histórica

O Projeto de Decreto Legislativo (PDL) 206/24 exclui do decreto presidencial (Decreto 11.615/23) três definições, sendo elas a Arma de fogo histórica: Assim declarada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e marcada com brasão ou símbolo nacional ou estrangeiro; de origem colonial; usada em guerra ou evento histórico; ou considerada rara e única.

Arma de Acervo e atirador

Arma de acervo de coleção: Fabricada há 40 anos ou mais, destacando a evolução tecnológica do modelo. Atirador desportivo: Pessoa registrada pelo Comando do Exército com Certificado de Registro (CR), filiada a entidade de tiro desportivo e que pratica regularmente o tiro como esporte. O projeto também altera requisitos para a obtenção do certificado de atirador desportivo, removendo a necessidade de participação frequente em competições.

Armas de pressão

O PDL também retira do conceito de armas de uso restrito as armas de pressão por gás comprimido ou ação de mola, com calibre superior a 6 mm, que disparem projéteis de qualquer natureza. Além disso, exclui a proibição de colecionar armas automáticas de qualquer calibre ou longas semiautomáticas de uso restrito fabricadas há menos de 70 anos. “Com essas mudanças, o projeto busca equilibrar a regulamentação do uso de armas e fomentar o tiro desportivo, atendendo às demandas de colecionadores e atiradores de todo o País”, explicou Delegada Katarina.

CRÍTICAS E SUGESTÕES

habacuquevillacorte@gmail.com e habacuquevillacorte@hotmail.com

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

  • Aracaju vai reunir grandes atrações no Samba Brasil neste sábado

    Aracaju vai ser palco de mais uma edição do Samba [...]

  • Prática de karatê melhora desempenho acadêmico dos estudantes da Fanese

    O universo das artes marciais se popularizou, moldando não apenas [...]

  • Influenciadora Vivi Siqueira inicia tratamento vascular com Dr. Fellipe Menezes

    Varizes e microvasos incomodam milhares de mulheres no mundo, não [...]

  • Governo debate oportunidades no setor de petróleo e gás com estudantes da rede pública no evento ‘O futuro do emprego’

    As perspectivas e oportunidades de emprego para os jovens sergipanos [...]

  • Agrese e Agenersa assinam protocolo para fortalecer regulação colaborativa

    A Agência Reguladora de Serviços Públicos do Estado de Sergipe [...]