O ex-presidente esteve em jantar com caciques do MDB na mansão do ex-senador Eunício Oliveira, que negou qualquer “boicote” ao nome da senadora Simone Tebet: “Não tem nenhuma traição, não tem nada disso”

Pouco depois das 20h30min o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) chegou ao jantar na mansão do ex-senador Eunício Oliveira (MDB-CE), no Lago Sul – Brasília. No local Lula se encontrou com um grupo de senadores, em sua maioria emedebistas.

O grupo promoveu o encontro para reforçar os argumentos a favor da candidatura Lula, em especial devido aos palanques no Nordeste e em estados em que já há articulação com o PT para as eleições de outubro. O senador Renan Calheiros (MDB-AL) destacou ao jornal Correio Braziliense que se trata de “um jantar de cortesia”, sem objetivos de ordem partidária.

“Com relação à candidatura [do MDB], defendo que se nós tivermos peso eleitoral, será ótimo, é tudo o que o partido quer: ter (um) candidato próprio. Mas se não houver mudança na fotografia das pesquisas fica difícil os partidos homologarem esses nomes”, argumentou Calheiros.

O anfitrião da noite, Eunício Oliveira, definiu o encontro de caciques como “uma noite de debates, e não de adesão” e disse acreditar que, de qualquer maneira, a eleição “vai terminar” entre Lula e Bolsonaro. “A democracia permite que você pense diferente, que aja de forma diferente dos outros. Nós não estamos fazendo esse jantar para boicotar, em absoluto, a candidatura da senadora Simone [Tebet]. Não tem nenhuma traição, não tem nada disso”, garantiu.

Entre os senadores convidados para o jantar ainda estavam Giordano (MDB-SP), Flávio Arns (Podemos-PR) e Kátia Abreu (PP-TO), que não puderam comparecer por não estarem em Brasília. O ex-senador Romero Jucá (MDB) também foi convidado, mas não compareceu pois cumpria agenda com ações de pré-campanha em seu estado, Roraima.

Candidatura própria

Mais cedo, em São Paulo, Tebet reuniu-se com Michel Temer e com o presidente nacional do MDB, o deputado Baleia Rossi, no escritório do ex-presidente. O encontro foi resposta à ala emedebista liderada por Renan Calheiros que defende o apoio do partido a Lula.

“Os líderes emedebistas discutem os fatos que mostram o fortalecimento da pré-candidatura de Tebet à Presidência da República pelo partido”, afirmou em nota a assessoria da senadora.

Após o encontro, Baleia Rossi, em suas redes sociais, declarou que “o MDB é um partido democrático. Toma as decisões por maioria, e respeita as minorias. Há meses, mesmo com diferenças regionais, há uma ampla maioria formada a favor da candidatura própria”.

 

 

Fonte: Correio Braziliense

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

  • Brasil registra tendência de aumento do número de casos de Síndrome Respiratória Aguda

    Dados mais recentes do Boletim InfoGripe, da Fundação Oswaldo Cruz [...]

  • Nova presidente da Caixa anuncia primeiras medidas à frente do banco

    Daniella Marques Consentino tomou posse no comando da instituição  Por [...]

  • Matou esposa a faca, em Indiaroba (SE). PM prendeu o assassino

    Vítima foi morta com golpe de faca no último domingo [...]

  • Polícia Civil divulga balanço da Operação Narcos na Grande Aracaju

    Ação aconteceu em todo país, do dia 27 de junho [...]

  • Ministério da Saúde reforça importância da vacina de febre amarela, postos de saúde de todo o Brasil oferecem dose contra a doença

    O Ministério da Saúde faz um alerta sobre a febre [...]