Adema recebe 15 aves que estavam sendo mantidas em cativeiro


A Administração Estadual do Meio Ambiente (Adema) foi acionada pela Delegacia de Polícia Civil do Município de Pinhão, no Território Agreste Central Sergipano, para resgatar 15 aves da fauna brasileira de 11 espécies, apreendidas em uma operação de denúncia de criação irregular.

De acordo com o Delegado de Polícia Civil, Eurico Nascimento, que fez a entrega pessoalmente na sede da Adema, as aves são frutos de denúncia de criação irregular e estavam em poder de uma senhora, que relatou pertencer ao seu falecido marido, no entanto, as espécies estavam sem as devidas autorizações dos órgãos ambientais competentes.

Foram entregues um exemplar de cabeça (Mycteria americano), um assanhaço (Thraupia), um Jesus meu Deus (Zonotrichia capensis), um chorão (Sporophila leucoptera), um chofreu (Icterus jamacaii), um pássaro preto (molothrus oryzivorus), uma canção (Cyanocorax cyanopogon), dois exemplares de azulão (Cyanoloxia brissonii), duas jandaias (Aratinga), dois papa capim (Sporophila nigricollis) e duas viuvinhas (Vidua macroura).

Todas as aves foram encaminhadas para o Centro de Tratamento de Animais Silvestres (CETAS) para avaliação clínica, e, após a análise, as que apresentarem algum tipo de enfermidade serão submetidas à reabilitação e as que encontrarem em boa situação serão postas à soltura.

De acordo com o Artigo 29 da Lei 9.605/98), manter animais em cativeiro, constitui Infração Administrativa Ambiental por infringência ao art. 24 do Decreto Federal nº 6.514/2008. Entretanto quem mantém animais silvestres sem registro de compra ou autorização dos órgãos ambientais, pode realizar a entrega de maneira voluntária dos animais de sua posse na sede da Adema, situada na Rua Vila Cristina 1051, bairro São José em Aracaju, sem sofrer as sanções previstas no decreto, conforme o Artigo 24, § 5o do Decreto Federal 6.514/2008.

Previous Deputado propõe o Código de Defesa da Mulher
Next Doença “urina preta” pode estar relacionada a consumo de frutos do mar