Danielle Garcia diz que existem várias perguntas sem respostas sobre a “tragédia da UPA Nestor Piva”


Por Habacuque Villacorte – Da Equipe Cinform On Line

Desta vez a equipe do CINFORM ON LINE, conversou com a delegada de Polícia Civil, Danielle Garcia (Cidadania), que disputou a prefeitura de Aracaju em 2020, chegando ao 2º turno contra o atual prefeito Edvaldo Nogueira (PDT), Na oportunidade ela fala dos desafios profissionais, das conversas políticas e do futuro, mas faz duras críticas à forma como a gestão municipal tem se comportado no enfrentamento ao novo coronavírus (COVID-19). Ela fala em falta de transparência nos gastos públicos, vê lentidão no processo de imunização e reclama da falta de leitos de UTI. Ela também não acredita em “fatalidade” sobre a tragédia do incêndio da UPA Nestor Piva. Confira a seguir, e na íntegra, esta entrevista exclusiva:

CINFORM ON LINE:  Iniciando a entrevista, já são alguns meses após o resultado da eleição de Aracaju. Desde então, para quem desconhece sua atividade profissional, o que tem feito Danielle Garcia? Onde tem atuado?

DANIELLE GARCIA: Após o fim das eleições retornei minhas atividades como Delegada de Polícia Civil, sendo designada para atuar como Delegada Plantonista na Central de Flagrantes.

CINFORM ON LINE: Estamos acompanhando sua volta em algumas reuniões do Cidadania, mas por que a senhora não assumiu essa “liderança da oposição” que o eleitorado de Aracaju lhe assegurou com mais de 100 mil votos?

DANIELLE GARCIA: Depois das eleições eu não parei de vivenciar a Política, apenas passei a ter menos tempo em razão dos exaustivos plantões policiais, na maioria das vezes ocorrido no período noturno e seguindo uma rigorosa escala, inclusive nos finais de semana. As reuniões e conversas continuam a ocorrer, com todas as cautelas que a pandemia que vivemos exige. Além disso tenho colaborado em algumas ações de fiscalização dos parlamentares do partido.

CINFORM ON LINE: Esse “distanciamento” dos holofotes não pode prejudicar a construção de um projeto político para 2022?

DANIELLE GARCIA: Como disse, não houve distanciamento, apenas o retorno ao trabalho, com o qual sempre fui muito responsável. Talvez tenham estranhado o fato de eu não viver exclusivamente da política, o que não significa que o nosso grupo não esteja construindo e planejando o nosso futuro político. Inclusive acho meu exemplo salutar para a população. Políticos devem ter uma carreira profissional para além da vida pública. Eu sigo, sempre que possível, dando entrevistas, participando de eventos e contribuindo com meu grupo político.

CINFORM ON LINE: A senhora não é “política profissional”, mas chegou a dizer em 2020 que gostou do desafio e que pretende dar continuidade. Já sabe para qual cargo eletivo pretende disputar no próximo ano?

DANIELLE GARCIA: O desafio inicial de entrar para a política talvez tenha sido o mais difícil. O que de fato me fascinou foi o carinho e a confiança que tantas pessoas depositaram em mim. Elas sentiram verdade naquilo que eu falava, algo tão raro hoje no meio político. Quanto às eleições de 2022, ainda estamos estudando a melhor estratégia e aguardando a definição das regras eleitorais que irão reger o próximo pleito.

CINFORM ON LINE: Pela legislação atual, percebemos que há um risco para o Cidadania, em relação a tamanho político, se continuar distante de outras legendas. O senador Alessandro Vieira é o pré-candidato do partido para o governo ou não?

DANIELLE GARCIA: Temos um grupo consolidado. Quanto ao senador Alessandro, é natural que ele seja o candidato do Cidadania ao governo do estado, mas mesmo isso ainda não está definido. Quanto às regras eleitorais, o que ficou evidente em 2020 é a importância de ter um grupo forte de candidatos. Elegemos dois excelentes vereadores em Aracaju, mais de 30 vereadores no interior e dois prefeitos. Lembrando que nosso grupo assumiu o partido em 2019. Para dois anos, foi um resultado muito bom e que esperamos superar em 2022.

CINFORM ON LINE: Vocês tiveram uma reunião recente com a vereadora Emília Corrêa e o Patriotas. Possivelmente buscando estreitar os laços e por fim às polêmicas de 2020, que vieram à tona e vocês terminaram caminhando em direções opostas. E agora? Como foi a conversa?

DANIELLE GARCIA: A minha relação pessoal com Emília sempre foi muito boa. Por alguma razão ela decidiu não caminhar conosco nas eleições municipais, o que não inviabiliza diálogo. Tivemos uma conversa produtiva acerca da necessidade de fortalecimento do bloco de oposição.

CINFORM ON LINE: E a reunião que vocês tiveram com o PL do ex-prefeito de Itabaiana, Valmir de Francisquinho, e o deputado estadual Talysson de Valmir? Houve alguma sinalização para a construção de um projeto político entre as duas legendas?

DANIELLE GARCIA: Fizemos uma visita de cortesia ao PL em decorrência do nosso histórico recente de parceria. O diretório municipal de Aracaju, presidido por Milton Andrade, foi nosso aliado nas últimas eleições. Conversamos sobre política de um modo geral, sem, entretanto, fechar qualquer projeto juntos.

CINFORM ON LINE: Voltando para Aracaju, que teoricamente é a região do Estado que a senhora conhece mais e tem mais facilidade de identificar os problemas, o que dizer desses quase seis meses da “nova gestão” de Edvaldo?

DANIELLE GARCIA: A atual gestão continua agindo com pouca transparência no que diz respeito aos gastos públicos, especialmente quanto aos recursos federais recebidos em razão da pandemia, com lentidão na vacinação e sem disponibilização de leitos de UTI para auxiliar o Estado no atendimento de tantos pacientes com COVID. Somos a única capital do Brasil que não disponibilizamos leitos de UTI, uma das últimas em ritmo de vacinação. Não houveram avanços na educação, micro e pequenos empresários seguem desassistidos. Ou seja, o cenário não mudou. Infelizmente a população escolheu um gestor que executa o mínimo necessário investindo o máximo possível em propaganda. Inclusive o recente incêndio no Nestor Piva precisa ser investigado.

CINFORM ON LINE: O prefeito não debateu com a senhora durante a campanha eleitoral, mas o que foi proposto durante as propagandas dele no ano passado, o que já foi cumprido e o que Edvaldo ainda está devendo?

DANIELLE GARCIA: O atual Prefeito ainda está devendo praticamente tudo o que prometeu não somente na campanha passada, mas das anteriores também. Essa é uma gestão focada em obras de maquiagem, sem qualidade, mas que ficam lindas da propaganda. Mas neste ano, como em 2020, cujo foco deveria ser a redução dos danos e o combate ao coronavírus, mas, como dito acima, vemos lentidão e omissão em algumas áreas. E não adianta jogar a culpa ou responsabilidade para os Governos Estadual ou Federal. São Luís já está vacinando a população com 35 anos. Salvador e Recife têm UTIs e projeto próprio de auxílio à renda e aos empresários. O que falta é vontade política para fazer.

CINFORM ON LINE: Qual a sua avaliação, por exemplo, sobre as medidas restritivas do governador e do prefeito de Aracaju suspendendo algumas atividades comerciais e controlando o fluxo de pessoas durante a pandemia?

DANIELLE GARCIA: Algumas medidas restritivas são de fato necessárias para evitar que o contágio se alastre ainda mais, mas a economia não pode ser asfixiada do jeito que vem sendo e sem programas de ajuda. Vimos os comerciantes adaptarem-se a rigorosas regras para que pudessem funcionar, inclusive com investimento alto, e, de repente, foram obrigados a paralisar de forma abrupta as suas atividades. Somos o único Estado da federação com uma previsão de PIB negativo nos próximos anos, sinal de que o grupo que está no poder há cerca de 20 anos não tem governado o nosso estado visando o seu desenvolvimento, a geração de emprego e renda.

CINFORM ON LINE: As UTIs estão superlotadas, nas redes pública e privada, mas há como controlar o fluxo de pessoas e atividades agora? A senhora que atua na Segurança Pública, como tem sido a atuação dos policiais para conter os descumprimentos do decreto?

DANIELLE GARCIA: Os nossos problemas são crônicos há anos. O efetivo das nossas Polícias é muito aquém da nossa necessidade. Os leitos de UTI nunca foram suficientes para atender a nossa população, a nossa economia não se desenvolve a contento e nos deixa muito atrás dos nossos vizinhos Alagoas e Bahia e numa das últimas posições do país. A pandemia só potencializou aquilo que há anos não funciona bem.

É hora de fazer parceria com os hospitais privados. Utilizar equipamentos parados como o CER e implantar novos leitos. Convocar profissionais de saúde, assumir efetivamente a gestão da saúde sem “gambiarras” de terceirizações. O que não podemos é deixar nosso povo morrer por falta de leito.

 

CINFORM ON LINE: Qual a sua leitura sobre a tragédia do Nestor Piva? Em sua opinião tratou-se de uma fatalidade ou alguém deve e será responsabilizado? O problemas parecem se acumular pelas unidades de saúde, ou não?

DANIELLE GARCIA: Não acredito que o incêndio do Nestor Piva tenha sido uma fatalidade, especialmente pelas fotos divulgadas pela imprensa de gambiarras ligando os ar condicionados da unidade. Uma série de questionamentos precisam ser esclarecidos: Havia um plano de prevenção a incêndio, com as devidas licenças e inspeções do Corpo de Bombeiros? Qual a responsabilidade da empresa que administra o Nestor Piva na construção e manutenção do anexo onde ocorria o atendimento Covid? Por que os corpos não passaram pelo IML, já que o evento morte se deu em decorrência do incêndio? Quem será responsabilizado? Precisamos de todas estas respostas.

CINFORM ON LINE: Como perguntar não ofende, desde 2020 não param de chegar recursos federais, exclusivos, para o combate à COVID-19. Com tanto dinheiro, faltou planejamento da PMA para organizar esse processo ou faltou gestão?

DANIELLE GARCIA: Faltou planejamento e gestão. Os recursos chegaram e bons exemplos podiam ter sido replicados aqui. Mas o que vemos na prática é uma gestão municipal que se exime de ser protagonista nas ações de combate ao covid, sendo Aracaju responsável pela maioria das mortes pelo vírus. Até no plano de imunização a prefeitura não assume protagonismo.

CINFORM ON LINE: E quanto ao processo de imunização da população? Por que chega tanta vacina e por que os gestores municipais não imunizam na mesma proporção?

DANIELLE GARCIA: Mais uma vez falta planejamento e gestão, falta estratégia de acompanhamento de resultados. O Plano Nacional de Imunização é uma diretriz. Cada gestor adapta para a realidade de sua localidade. Mas aqui não. Ninguém se dá ao trabalho de tentar fazer o que é melhor para a população. Sentar com os pesquisadores e tentar entender quais as especificidades do nosso povo. Afinal é muito mais fácil executar de forma automática.

CINFORM ON LINE: Concluindo a entrevista, agora para o eleitorado da capital: independente do que possa ocorrer em 2022, a senhora ainda pensa em voltar a disputar a prefeitura de Aracaju em 2024?

DANIELLE GARCIA:  Eu gostaria muito de ver uma gestão eficiente, transparente e que trouxesse desenvolvimento e esperança para a vida dos Aracajuanos. Temos excelentes lideranças públicas no partido. Certamente estaremos no pleito. Mas vamos viver uma eleição de cada vez.

Previous Sergipe estreia com empate na Série D do Brasileirão
Next CRECI-SE pede vacinação imediata para os corretores de imóveis