Hemose precisa de doadores de sangue para restaurar estoques


Sangue doado é utilizado para amenizar e curar pacientes em tratamentos oncológicos, aplasias, linfomas, anemias crônicas, além de cirurgias de alta complexidade

O Centro de Hemoterapia de Sergipe (Hemose) convoca a população para colaborar com o serviço de doação de sangue e, dessa forma, restaurar os estoques de todos os grupos sanguíneos: O, A, B e AB, fatores RH positivo e negativo. A medida visa assegurar o atendimento da demanda transfusional de pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS) na rede hospitalar.

“Nesse momento alguém pode está  precisando da nossa ajuda. O sangue doado é utilizado para amenizar e curar pacientes em tratamentos oncológicos, aplasias, linfomas, anemias crônicas, além de cirurgias de alta complexidade. Por isso que a doação de sangue é vital”, alertou a enfermeira Andrea Miranda Oliveira Nascimento.

Segundo dados do setor, na primeira quinzena de maio, o serviço registrou 978  atendimentos e 767 doações de sangue. São em média 50 doações ao dia, número que está  muito abaixo do necessário para atender às solicitações que o Hemose recebe  dos hospitais. “Sou doador regular e, sabendo da necessidade, sempre organizo meu tempo para ajudar”, comentou Jefferson Gonçalves.

Conforme a gerente de Ações Estratégicas, Rozeli Dantas, o setor trabalha em contato direto com os cidadãos. “Para reverter essa situação  o serviço de captação está convidando os voluntários de todos os grupos sanguíneos para fazer a sua doação e os líderes de grupos para renovar o agendamento de suas campanhas”, explicou a assistente social.

Doação pelo método aférese

O Hemose realiza duas modalidades de doação: o sangue total e plaquetas por aférese. Para quem já é doador (a), a recomendação é a escolha pelo segundo método, pois, através deste tipo de coleta é obtida uma bolsa de concentrado de plaquetas que vai atender até 8 pacientes.

Para doar plaquetas por aférese, o candidato deve estar bem de saúde, pesar acima de 55 kg, ter efetuado no mínimo três doações de sangue total no Hemose, sendo que a última tenha ocorrido num prazo de seis meses. No Hemocentro o voluntário faz um hemograma para contagem de plaquetas, que precisa apresentar resultados acima de 200 mil. Essa modalidade de doação deve ser agendada previamente, no setor de captação.

Trata-se de um método seguro, monitorado por profissionais capacitados e o material utilizado é descartável de maneira adequada. Outra vantagem desse tipo de intervenção é a redução no tempo para que a pessoa volte a doar. Ao contrário da doação convencional, a aférese pode ser realizada em intervalos de 30 dias, isto porque, o organismo demora até 48 horas para repor a plaqueta doada.

A doação por aférese é um procedimento diferenciado, onde o sangue é retirado do braço do doador e, por meio de um cateter, o material coletado é levado à máquina de aférese. O sangue circula em um circuito fechado e descartável, não havendo possibilidade de contaminação. O procedimento dura em média 90 minutos.

O doador de sangue Silvano Oliveira Cruz, 38 anos, residente em Lagarto, se interessou pelo procedimento e fez sua primeira doação de plaquetas por aférese. “Eu participo das campanhas do grupo de Zilda, ela me falou sobre essa doação, achei importante e vim ajudar ao próximo”, declarou ele.

Seja um doador

Para ser um doador de sangue é preciso estar bem de saúde, sem qualquer sintoma de gripe ou resfriado, ter entre 16 e 69 anos de idade, pesar acima de 50 quilos e apresentar um documento oficial com foto.

Mais informações e agendamentos, através dos telefones: (79) 3225-8000, 3225-8039 e 3259-3174.

Previous Senadores pedem que TCU apure compra de software espião pelo Ministério da Justiça
Next Presidente do COI chegará ao Japão 11 dias antes da abertura dos Jogos