Equipes prestam auxílio em operação para resgate de vítima da queda de avião monomotor


No final da manhã desta quinta-feira, 6, por volta das 11h40, um avião monomotor, modelo RV-10 de três lugares, caiu no manguezal situado no bairro Coroa do Meio, na zona Sul de Aracaju. Instantes depois, assim que o Grupamento Tático Aéreo (GTA) identificou a localização da aeronave, equipes do Município e do Estado iniciaram a operação de resgate do avião e, sobretudo, da vítima, um piloto que veio da cidade de Unaí (MG) para fazer um voo particular.

O principal empecilho do resgate se deu pelo local em que o monomotor caiu, uma área de manguezal de difícil acesso. Para tanto, uma força-tarefa reuniu esforços para trabalhar em volta da localidade e, assim, conseguir êxito na operação.

Equipes da Secretaria Municipal da Defesa Social e da Cidadania (Semdec) – Defesa Civil de Aracaju, Guarda Municipal de Aracaju (GMA) e Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (SMTT) e da Empresa Municipal de Serviços Urbanos (Emsurb) para prestar todo o suporte de pessoal e também de máquinas e equipamentos necessários para facilitar o acesso ao avião e, consequentemente, ao piloto que, conforme o Corpo de Bombeiros de Sergipe (CBM/SE) estava preso na cabine da aeronave, que ficou submersa na área de mangue.
“Desde que recebemos a notícia, nos deslocamos para o local e prestamos apoio logístico e técnico. Fizemos uma avaliação do líquido inflamável, diluímos esse combustível, juntamente com o Corpo de Bombeiros, e não utilizamos qualquer equipamento que pudesse fazer centelhas por causa do risco de incêndio. Junto com a Emsurb, que veio com tapumes, pneus, trabalhamos para auxiliar os bombeiros a chegarem à aeronave. Além disso, locamos um caminhão guincho para içar a aeronave e, assim, fazer com que os bombeiros tenham um acesso melhor ao piloto”, pontuou o coordenador da Defesa Civil de Aracaju, major Silvio Prado.
De acordo com o secretário municipal da Defesa Social e da Cidadania, Luís Fernando Almeida, essa somação de esforços é de extrema importância, sobretudo na atuação diante de tragédias como essa.
“Em uma operação como essa, é tudo muito delicado e apenas uma equipe não consegue dar conta, portanto, essa integração é essencial, mas não somente isso. Além da integração, é preciso que a ação seja bem coordenada para que, desta forma, consigamos chegar ao objetivo”, destaca o secretário.
Diversos equipamentos foram fornecidos pela Prefeitura para contribuir para o resgate, como detalha o presidente da Emsurb, Luiz Roberto Dantas.
“Além do guincho de grande porte, auxiliamos com o fornecimento de equipamento de poda de árvores e diversas ferramentas e materiais que ajudassem no acesso dos bombeiros. É um apoio que a Prefeitura está dando às demais instituições que estão somadas a esta operação, órgãos integrados do Governo do Estado e da Prefeitura para solucionar”, frisa Luiz Roberto.
Conforme destacou o representante do Corpo de Bombeiros na operação, major Caldas, por ser lama, não havia como fazer nenhum tipo de mergulho, o que representou mais um fator de dificuldade.
“O avião foi totalmente destroçado, partes das asas ficaram próximas onde estava a cabine. Fizemos uma varredura nas adjacências para ver se havia outros destroços no local, assim também como uma possível projeção do piloto durante a queda. No entanto, não encontramos nenhum tipo de vestígio, e constatamos que ele [o piloto] ainda estava na cabine que estava soterrada na lama. O auxílio da Prefeitura foi de grande importância, justamente para que conseguíssemos retirar essa cabine da lama, portanto,  foi fundamental para a operação, assim como as demais equipes”, destaca.
Os dois sentidos da avenida Desembargador José Antônio de Andrade Goes, local que margeia o mangue, foram bloqueados. Os agentes de trânsito da SMTT estão no local para organizar o tráfego de veículos e bloquear e facilitar o resgate. Portanto, apenas os veículos oficiais de resgate estão autorizados a circular pela via.
As linhas de ônibus que passam pela região estão circulando pela rua Aloísio Campos, paralela à avenida Des. José Andrade Gois.
A Guarda Municipal de Aracaju também presta todo o apoio necessário às demais equipes. “Atuamos no isolamento da área, de maneira a contribuir com os trabalhos realizados pelas equipes do Corpo de Bombeiros Militar de Sergipe, assim como prestamos apoio às equipes da Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (SMTT), que atuam na regulação do trânsito da região. Reforçamos a segurança da área”,  destacou o diretor-geral da GMA, subinspetor Fernando Mendonça.
Previous Lucro do Banco do Brasil aumenta 32% no primeiro trimestre
Next Polícia Civil investiga ameaça de morte sofrida pela delegada Danielle Garcia