Covid-19 já matou 30 pessoas com HIV em Sergipe


O vírus da Covid-19 se tornou uma grande ameaça para todas as pessoas. No entanto, para àquelas que possuem comorbidades a recuperação pode ser ainda mais difícil. É o caso dos portadores de HIV. De acordo com o gerente do Programa IST/Aids da Secretaria de Estado da Saúde, o médico Dr Almir Santana, até a última sexta-feira, 28, 30 pessoas com HIV vieram a óbito em Sergipe. Segundo ele, o número começa a crescer no Estado.

“Uma das nossas maiores preocupações é se a pessoa recebe o resultado tardiamente, na fase avançada da doença, ou se não faz o tratamento. Se a pessoa com o diagnóstico tardio do HIV ou a pessoa que não está se tratando, contrai a Covid-19, fica muito mais difícil se recuperar, já que a sua imunidade já está muito baixa. Por isso, enfatizo e oriento que as pessoas com HIV façam o possível para evitar contrair a Covid-19”, disse Dr Almir.

Além dos cuidados essenciais que devem ser mantidos, como lavar as mãos, utilizar álcool gel, e fazer o uso da máscara, as pessoas com HIV, na faixa etária dos 18 aos 59, anos ganharam um reforço na prevenção da Covid-19: elas foram inseridas no grupo prioritário da vacinação contra a doença.

“Para ter acesso a vacinação, basta a pessoa ir até um serviço de saúde e apresentar um relatório ou encaminhamento. Vale ressaltar que no encaminhamento não fica explícito a comorbidade HIV, pois ela entra nas patologias chamadas de Imunossuprimidos”, ressaltou Dr Almir.

Previous Profissionais de saúde relatam histórias de coragem, ética e amor ao próximo durante incêndio
Next Médico aponta os males provocados pelo fumo