Secretaria Municipal da Saúde de Aracaju recebeu máscaras de ventilação não invasiva para pacientes com Covid-19


Erro no banco de dados do WordPress: [Table 'u739694153_cinformonline.wp_ppress_meta_data' doesn't exist]
SELECT * FROM wp_ppress_meta_data WHERE meta_key = 'content_restrict_data'

Nesta terça-feira, 13, a Secretaria Municipal da Saúde (SMS) recebeu, através do coordenador do projeto, a doação de quatro máscaras de VNI (Ventilação Não Invasiva) que serão utilizadas nos pacientes atendidos nos leitos de retaguarda do Município.

“O Spirandi, é um sistema para VNI (Ventilação Não Invasiva), de baixo custo e de fácil implementação nas redes hospitalares, porque precisa de pouca infraestrutura, podendo ser conectado tanto a uma rede de gases quanto a um cilindro de O2. Além disso, a máscara é sanitizável, basicamente toda autoclavável, e se consegue ter um uso muito efetivo nessas unidades e dar um suporte respiratório aos pacientes antes que ele evolua para quadros mais graves”, explica o coordenador do Spirandi, José Gilmar Filho, que projetou a entrega de mais máscaras até a próxima semana.

De acordo com a secretária da Saúde de Aracaju, Waneska Barboza, dos 125 leitos de retaguarda para atendimento covid, na capital, 63 estão equipados para estabilização de pacientes e a doação desses equipamentos agregará valor à assistência prestada nesses leitos.

“Essas máscaras, com pressão positiva própria, sem necessidade de acoplagem ao respirador, vem num momento muito importante, vão agregar um valor inestimável para esses pacientes que estão nesses leitos, já que é neles que nós temos a fase mais crítica, com um quadro que evolui de forma muito rápida para um agravamento da doença, podendo levar à intubação”, ressaltou Waneska.

Ainda segundo a gestora, a partir da utilização dessas máscaras, há a possibilidade de se avaliar clinicamente a eficácia desse recurso no tratamento dos pacientes, fazendo um levantamento dos benefícios trazidos em virtude dessa intervenção.

A intermedição entre o projeto e o Município se deu por intermédio do Núcleo Jurídico da Secretaria da Saúde. “Inicialmente, contamos com o pessoal do Projeto Cuidar, que disponibilizou mais de mil face shields, que foram vitais para o trabalho dos nossos profissionais. Eles disponibilizaram também algumas máscaras, que na época, foram utilizadas no hospital de campanha e que após seu fechamento foram direcionadas para a atendimento na nossa rede. E agora, no momento de imensa dificuldade em conseguir tanto o aparato tecnológico, como respiradores, máscara de Hudson, temos essa iniciativa muito bonita do ponto de vista humano por parte do pessoal do projeto”, afirmou o diretor jurídico da SMS, João Vitor Burgos.

Previous Ações de vandalismo prejudicam funcionando de Terminal de Integração
Next Anunciados 15,5 milhões de doses de vacina da Pfizer até junho