“Município, Estado e União não podem deixar as pessoas desamparadas”


Gilmar Carvalho defende que os trabalhadores que estão proibidos de atuar precisam ser assistidos

Habacuque Villacorte – Da Equipe Cinform

A reportagem do CINFORM conversou com o deputado estadual, Gilmar Carvalho (PSC), que impedido de disputar a Prefeitura de Aracaju em 2020, avalia que, por conta da pandemia do novo coronavírus (Covid-19) e mesmo sendo favorável à realização do pleito, dificilmente teremos eleições municipais este ano. Gilmar também revela que ouviu de médicos sobre o risco de proliferação do vírus com a construção do Hospital de Campanha da PMA no estádio João Hora, próximo a condomínios residenciais. Ele também anuncia que vai acionar judicialmente a Energisa (fornecedora de energia elétrica) e a DESO (fornecedora de água) por entender que as duas empresas estão lesando os consumidores em geral. Confira a seguir esta breve entrevista na íntegra:

CINFORM: Iniciando a entrevista, vamos à pergunta que não quer calar: em sua avaliação, teremos ou não teremos eleições municipais este ano, diante desta pandemia do novo coronavírus? O que acha da prorrogação dos mandatos?

GILMAR CARVALHO: Eu lhe confesso que sou a favor que tenhamos eleições este ano, mas reconheço que dificilmente teremos o pleito e é exatamente por conta dessa pandemia. Sobre essa questão de prorrogação eu não sei. Tudo vai depender desse coronavírus.

CINFORM: Chamou a atenção de boa parte da mídia sergipana um levantamento feito para prefeito de Aracaju em que seu nome aparece bem posicionado. O resultado reforça sua teoria de que não queriam enfrentá-los nas urnas este ano?

GILMAR CARVALHO: A meu ver aquele levantamento está errado, equivocado. Mesmo porque eles não tinham que incluir o meu nome tendo em vista que eu já disse várias vezes que, infelizmente, não poderei ser candidato a prefeito de Aracaju este ano. (INTERROMPIDO)

CINFORM: Mas o senhor já tem alguma posição definida sobre esse processo eleitoral de Aracaju? Já sabe quem vai apoiar nesta disputa?

GILMAR CARVALHO: Tenho sido procurado por diversos partidos políticos e pré-candidatos querendo o nosso apoio. Como não serei mais candidato, vou aguardar o fim dessa pandemia do novo coronavírus para analisar e decidir. Gilmar Carvalho não deixará de participar, de alguma forma, desta eleição em Aracaju.

CINFORM: Falando em pandemia, estamos acompanhando o governador um tanto “atrapalhado”, com um decreto autorizando a flexibilização de algumas atividades econômicas e outro decreto suspendendo o que tinha liberado. Qual a sua avaliação?

GILMAR CARVALHO: Antes eu quero externar minha rejeição ao fato da Assembleia Legislativa não ter votado até hoje o nosso projeto que propõe a redução das mensalidades escolares durante a pandemia. Este projeto tramita naquela Casa há três semanas ou um mês já. Com relação ao combate à pandemia, eu apenas acho que todos devemos nos irmanar em torno das melhores medidas a serem tomadas pelas autoridades. (INTERROMPIDO)

CINFORM: Por que a citação a respeito do seu projeto? Existe alguma interferência do Poder Executivo para ele não tramitar?

GILMAR CARVALHO: Confesso que não sei por quais razões ele não está tramitando e ainda não foi colocado em votação. Quem tem que dizer isso é Luciano (Bispo – presidente da Assembleia)…

CINFORM: Ainda sobre a pandemia, em alguns Estados do Nordeste já existem gestores públicos proibindo a circulação do transporte coletivo para evitar a proliferação dos registros de infectados com o vírus. O senhor concorda com esse tipo de decisão?

GILMAR CARVALHO: Penso exatamente pelo contrário! Acho que nós teríamos era que aumentar a frota de ônibus que está nas ruas até para a gente evitar que essas aglomerações persistam. Acho que diminuir a frota ou até suspender o serviço vai prejudicar mais do que ajudar do jeito que está. E outra coisa: comigo a tarifa de transporte para trabalhadores seria reduzida a zero! Confesso que nem os amigos acreditam, mas eu faria (risos)

CINFORM: Outro assunto que tem preocupado por demais a nossa população é o crescimento do desemprego por conta das restrições impostas de controle e combate à pandemia. O senhor tem percebido, em ruas e avenidas, o crescimento no número de pedintes e pessoas carentes?

GILMAR CARVALHO: O município, o Estado e a União não podem deixar essas pessoas desamparadas! A meu ver, os trabalhadores que estão proibidos de trabalhar, precisam ser assistidos. Os governos precisam encontrar medidas, alternativas porque já tem muita gente passando dificuldades e sentindo fome.

CINFORM: E qual a sua avaliação sobre esse polêmico Hospital de Campanha da Prefeitura de Aracaju construído no estádio João Hora de Oliveira (campo do Sergipe)? O senhor não acha estranho que o empresário Téo Santana, do ramo de shows, tenha vencido esta concorrência?

GILMAR CARVALHO: Os médicos estão dizendo que o local (estádio) é inapropriado. Porque ali ao lado nós temos condomínios residenciais e a própria sede da Polícia Federal. Os médicos veem riscos de proliferação da doença com esse Hospital de Campanha ali. Sobre o empresário eu prefiro aguardar a investigação do Ministério Público Estadual para me pronunciar.

CINFORM: E quanto à polêmica em torno das faturas da DESO do mês de abril que vieram com valores bem maiores do que no mês anterior? Como deputado estadual, o senhor já recebeu alguma denúncia neste sentido? Qual a sua avaliação?

GILMAR CARVALHO: Estou preparando uma denúncia contra a DESO e a Energisa. Por enquanto eu não posso dizer mais detalhes, mas em síntese as duas empresas estão prejudicando a população.

CINFORM: E o Banese? Qual a sua avaliação sobre a proposta dos consignados que ao invés de prorrogar, renova os contratos de empréstimos?

GILMAR CARVALHO: Também sou terminantemente contrário a essa maneira com que o Banese está tratando a questão dos consignados. Realmente parece não se tratar de uma prorrogação.

CINFORM: E quanto aquela obra da Avenida Hermes Fontes? Tudo parece parar em Aracaju, menos aquela obra. Por que?

GILMAR CARVALHO: Eu continuo me posicionando contra a retirada das árvores. Em minha opinião, o prefeito Edvaldo Nogueira deveria ter consultado os especialistas em meio ambiente, que não sejam seus bajuladores.  

CINFORM: Falando em Edvaldo, depois das enchentes de 2019, o prefeito assumiu um compromisso com algumas comunidades de Aracaju de que os problemas seriam sanados e o sofrimento seria minimizado. Estamos nos aproximando de um novo inverno. Dá para ter uma previsão otimista?

GILMAR CARVALHO: Lembra-se da obra da Avenida Euclides Figueiredo? Ela foi prometida pelo prefeito em janeiro de 2017 e, desde então, eu venho cobrando uma solução imediata para aquele problema. Assim como para os diversos pontos de alagamentos em nossa cidade. Infelizmente alguns desses pontos tendem a alagar novamente este ano.

CINFORM: A Prefeitura de Aracaju, em meio à essa pandemia, nem prorrogou o pagamento do IPTU. Foi necessária uma decisão judicial. O que senhor acha?

GILMAR CARVALHO: Se eu fosse candidato a prefeito de Aracaju eu apresentaria uma solução de como resolver a situação do IPTU…

CINFORM: E o que dizer do drama dos aposentados e pensionistas do Estado que vão passar a receber seus rendimentos com o desconto previdenciário a partir de agora? Não dava para, pelo menos, esperar passar essa pandemia para iniciar o desconto?

GILMAR CARVALHO: Eu votei contra essa proposta e alertei aos aposentados, ativos e pensionistas, desde dezembro passado, que haveria problema. Eu alertei sobre que está para ocorrer a partir de agora. O governo quer botar a culpa no Congresso Nacional, mas o maior culpado, em Sergipe, é o próprio governo do Estado. Não custa lembrar que o Congresso decidiu que se poderia aguardar até julho próximo, por exemplo, mas tiveram pressa! Sobre essa questão de descontar depois estou aguardando a resposta de uma consulta que fiz ao jurídico.

CINFORM: E qual a sua avaliação sobre o auxílio de R$ 100 entregue pelo Governo do Estado? Não poderia ter ajudado com um pouco mais?

GILMAR CARVALHO: Para mim este benefício de R$ 100 é uma esmola!

CINFORM: Nos bastidores do mundo político sergipano, ainda existe o boato de que não deixaram Gilmar Carvalho ser candidato a prefeito de Aracaju. Quem lhe impediu de disputar a eleição?

GILMAR CARVALHO: Quem impediu, sabe que eu sei…

CINFORM: Concluindo a entrevista, e quanto à sua trajetória como apresentador de televisão? A informação é que vem novidade por aí. Trata-se de um programa local ou regional? O que seria?

GILMAR CARVALHO: Eu estou analisando duas propostas que me foram feitas por dois canais de fora do Estado. Eles já me procuraram várias vezes, mas eu pedi um tempo, pelo menos até o final de maio, para tomar uma decisão. Por enquanto é melhor eu não falar, até porque não me permitiram falar ainda…

Previous EDITORIAL: uma decisão técnica com motivação política
Next Zanny A Musa comemora carreira e agradece carinhos dos fãs