Deputada sergipana sugere uso de prédios públicos para hospitais de campanha contra o Covid-19


Com o anúncio do Governo de Sergipe da criação de hospitais de campanha em Aracaju e demais cidades do interior do estado para atender a demanda de pacientes infectados com o novo coronavírus, o Covid-19, a deputada estadual Kitty Lima (Cidadania) tem questionado a decisão do Executivo Estadual e sugerido o uso de espaços já existentes como hospitais de campanha, medida que economizaria milhões de reais com a construção de novas estruturas.

Ao todo, cerca de R$ 48 milhões já foram destinados a Sergipe para o enfrentamento ao novo coronavírus em todo o estado. Aracaju, por sua vez, recebeu mais de R$ 13 milhões, onde Kitty Lima aponta já existir uma estrutura capaz de ser transformada em um hospital de campanha. Para ela, a economia que será feita garantirá mais investimentos para outras frentes de atuação de combate ao Covid-19.

“Por que levantar um hospital de campanha do zero se a gente pode utilizar espaços do próprio governo já existentes? Um bom exemplo disso é o prédio do Centro Especializado de Reabilitação, atrás do Huse [Hospital de Urgência de Sergipe], um local recém-construído pelo governo e que ainda não foi inaugurado, mas que pode ser usado como hospital de campanha”, questiona Kitty.

Com a decisão, aponta a deputada, “o governo vai economizar milhares de reais que serão usados para erguer as novas estruturas e investir esse dinheiro na compra de respiradores artificiais, equipamentos de proteção individual, medicamentos e contratação de mais profissionais para a linha de frente no combate a pandemia”.

Até o momento Aracaju é a única cidade sergipana a ter iniciado a construção de um hospital de campanha, que está sendo erguido no Estádio João Hora. Nossa Senhora do Socorro também deverá ter uma unidade no espaço onde ocorre o Forró Siri, mas ainda está em fase de avaliação, assim como ocorre em outras cidades que ainda avaliam as ações que serão tomadas.

“É preciso ter responsabilidade e transparência no uso dessa verba. A Secretaria de Estado da Saúde deve fazer um levantamento de todos os espaços que podem ser adaptados em hospitais de campanha de forma a evitar gastos desnecessários desses recursos. Temos que otimiza-los ao máximo porque sabemos que a luta contra esse vírus é grande e precisamos investir cada centavo de forma responsável”, pontua Kitty.

Foto: Divulgação Ascom

Previous Bailarinos de todo o Brasil participam do 1º festival de dança online
Next Fecomércio-SE lança a Central de Atendimento ao Empresário