Condução consciente por meio de profissionalização


Empresas de transporte coletivo, em parceria com o SEST e SENAT, disponibilizam cursos gratuitos para a profissão de motoristas. Tecnologia faz com que cobradores se interessem mais pela condução de veículos

Ser um bom motorista é acima de tudo ter responsabilidade e segurança no momento da condução dos passageiros. Os profissionais que trabalham no transporte coletivo devem ter um cuidado máximo, pois lidam diariamente com centenas de pessoas que dependem dos ônibus para se locomoverem. Para isto é necessário passar por cursos profissionalizantes que formem condutores conscientes. Empresas de ônibus em parceria com o Serviço Social do Transporte e o Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte (SEST e SENAT) disponibilizam estes serviços para seus funcionários e mais, gratuitamente. Os cursos têm atraído cada vez mais pessoas, principalmente cobradores, que desejam se tornar motoristas.

A bilhetagem eletrônica existe em Aracaju desde 2007. Foto: Setransp

Mas, por que a procura de cobradores para a profissão de motoristas está cada vez maior? A resposta é simples: bilhetagem eletrônica. Com esta adesão do uso de tecnologia para a cobrança de passagens de ônibus, falta pouco para que a circulação de dinheiro nos transportes acabe. Assim, existirá mais segurança para os funcionários e usuários do sistema, além de que haverá maior rapidez no momento do embarque.

Um exemplo de cidade que já aderiu a esse sistema é Goiânia, que há 20 anos não possui cobradores. Aracaju está caminhando positivamente para este avanço. Desde julho de 2007 os usuários do transporte público utilizam cartões recarregáveis para efetuarem o pagamento da tarifa. A meta do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros Aracaju (Setransp) é utilizar apenas os cartões, ao invés do dinheiro. Dando oportunidades para os cobradores se especializarem, através dos cursos para se tornarem motoristas.

Os profissionais que fazem os cursos disponibilizados pelas empresas saem com certificação como motorista profissional no segmento do transporte, aperfeiçoam conhecimentos, habilidades e atitudes na condução do veículo. Saem com maior segurança no trânsito, o que leva à redução dos custos operacionais e do consumo de combustível. Isso tudo sem falar de uma melhor consciência ambiental e consequente redução na emissão de poluentes.

A profissionalização é o segredo da condução consciente. Foto: Vieira Neto

De acordo com a coordenadora do setor de desenvolvimento profissional do SEST SENAT, Carolina Amorim, existe hoje o curso de 50h, direcionado para condutores de transporte coletivo de passageiros. Segundo ela, o cobrador que já é habilitado na categoria D ou E deve fazer o curso para exercer a função de motorista.

“É obrigatório para qualquer motorista que deseja transportar pessoas fazer este curso. O cobrador tem que ter a categoria compatível. O ideal é que seja realizado este curso, que tem um embasamento teórico e, no fim, se matricular no curso prático de simulador de direção, que possui dois módulos: cargas e passageiros. Todos estes cursos são gratuitos para aqueles que estão empregados, com carteira assinada, em qualquer empresa que seja nossa contribuinte”, informa.

Presidente do Setransp
Alberto Almeida. Foto: Setransp

Além de passarem por conhecimentos teóricos, também passam pela prática. De acordo com o presidente do Setransp, Alberto Almeida, existe a necessidade de renovação do quadro de motoristas, então as empresas enxergaram uma alternativa de formar os seus próprios condutores através da capacitação de funcionários que desejam adotar esta profissão.

“Eles passam pela parte teórica e prática com um instrutor acompanhando, para que assim, depois de um determinado tempo, se capacitar e conduzir de forma segura. Isso é importante porque dá a oportunidade de crescimento na própria empresa. Há essa preocupação”, destaca.

PROFISSIONALIZAÇÃO

Instrutor do SEST SENAT
Antônio Silva. Foto: Vieira Neto

Segundo o instrutor dos cursos de motoristas disponibilizados pelo SEST e SENAT, Antônio Silva, há uma preocupação em passar todos os conteúdos de forma clara. Ele fala sobre o que é estudado em sala de aula.

“Estudamos a legislação de trânsito, esta que é fundamental hoje. Assim como a direção defensiva e preventiva, os primeiros socorros, o meio ambiente, a relação interpessoal na área de trânsito. Hoje são 25 alunos, no máximo, por turma”, ressalta.

O cobrador Luciano dos Reis deseja um crescimento profissional na área. Ele faz uma comparação entre o curso atual, que é o de Transporte Coletivo de Passageiros, para o que fez como cobrador.

Cobrador e futuro motorista
Luciano dos Reis. Foto: Vieira Neto

“Busquei fazer o curso, pois almejo um futuro melhor para mim e minha família. A empresa dá a oportunidade e o que eu posso fazer é abraçar. É um curso totalmente gratuito, recebemos materiais e é beneficente para a gente. O corpo docente é muito bom, faz com que a gente aprenda muita coisa. Para ser cobrador eu fiz um curso de aperfeiçoamento, por exemplo, de como dar troco, lidar com o público. A diferença deste curso para ser motorista é mais na parte técnica, mais voltado para a questão da segurança no trânsito, como conduzir os passageiros da melhor forma possível”, diz.

Cobrador e futuro motorista Luan Felipe Santos. Foto: Vieira Neto

Já o cobrador Luan Felipe Santos, que também faz o curso Transporte Coletivo de Passageiros, tem seu interesse pela profissão de motorista desde a infância, quando via seus tios trabalharem com isso. Ele destaca o que vem aprendendo e o que levará de relevante para sua profissão.

“A direção defensiva é muito importante, além do conhecimento com equipamentos. Um bom profissional deve conhecer a ferramenta de trabalho. No curso aprendemos também a forma de tratar os passageiros. Como cobrador tento ter a melhor educação possível com os passageiros, pois lidamos com todos os tipos de público, então quero levar isso para a minha profissão como motorista”, fala.

Motorista Valtran Lima. Foto: Vieira Neto

Valtran Lima é motorista há sete anos, antes disso ele foi cobrador por dois anos. Atualmente ele também faz o curso Transporte Coletivo de Passageiros, para reforçar seus conhecimentos aprendidos durante o tempo em que fez a transição das funções.

“Graças à empresa tive a oportunidade de passar de cobrador a motorista. Agora estou reciclando o curso de transporte de passageiros. É de suma importância aperfeiçoar os conhecimentos, pois traz melhoria para os passageiros na questão da educação e segurança no trânsito”, pontua.

SIMULADOR DE DIREÇÃO

O simulador é importante para o treino dos profissionais. Foto: Vieira Neto

O curso de profissionalização de condutores recebe um importante apoio logístico-pedagógico, que é aplicado através de um equipamento de última geração instalado nas dependências do SEST/SENAT.

Trata-se de uma máquina de valor milionário, situada entre as mais modernas do Brasil, que dispõe de alta segurança científica e que reproduz, integralmente, o deslocamento de um ônibus, caminhão ou carreta, tanto nas ruas de uma cidade quanto em rodovias.

O equipamento é compatível com qualquer avanço tecnológico que porventura seja implantado pelo departamento de pesquisa do fabricante, que é estrangeiro. Com isso, o simulador estará com o software permanentemente atualizado, alinhado com o que houver de mais avançado no mundo, o que empresta ao curso a condição de excelência em termos de formação de condutores de veículos de transporte urbano.

Previous Deu errado: perrengues de obra
Next Feiras de Aracaju: cartel lucra R$ 13 milhões e não paga imposto