Jeep Renegade é tendência em Sergipe


Carro ganha visual atualizado no Brasil

Um dos carros mais procurados que se tornou tendência em Sergipe ganhou a primeira atualização visual do Renegade. A Jeep acaba de lançar a sua nova versão que começa a ser vendida neste mês. O carro é o segundo SUV compacto mais vendido do Brasil e as mudanças fazem parte da nova linha 2019 que está disponível em 6 versões. As opções Custom e PcD ainda não estão disponíveis. A Limited equipada com motor diesel deixou de ser oferecida.

“Ao procurar um carro nos moldes dos SUV’s compactos, mais alto e confortável, escolhi comprar o veículo após fazer uma pesquisa entre os modelos disponíveis no mercado. A Jeep se destaca dos outros devido às características como: o bom espaço interno, o motor 1.8, o designer típico da marca e o mercado de revenda mais valorizado e garantido. O modelo atende as minhas necessidades e expectativas. O carro é um dos 3 mais vendidos no Brasil e acredito que vai continuar fazendo sucesso com a verão mais conservadora do modelo 2019”, explica o economista Cícero Pereira, proprietário de um carro modelo 2018.

De acordo com a Jeep, quem comprar um Renegade 2019 até o final do ano ganha as 3 primeiras revisões. Considerando uma unidade 2018, os serviços sairiam por aproximadamente R$ 2.100.

Mudanças ‘abrasileiradas’
Quem esperava que o Renegade brasileiro recebesse as mesmas intervenções visuais dos modelos americano e europeu, se enganou. A filial local da Jeep foi mais ‘econômica’ nas mudanças.

A dianteira, por exemplo, só recebeu a grade e os faróis renovados. Enquanto em outros países o para-choque foi redesenhado, a solução da Jeep para o Brasil foi adotar a peça que já era usada nas versões diesel em todas as configurações.

A Jeep também manteve a traseira inalterada – enquanto o Renegade ‘gringo’ recebeu lanternas atualizadas, com uma nova disposição das luzes.Fora isso, todas as rodas ganharam novo desenho. Elas vão de 16 a 19 polegadas, de acordo com o catálogo.

Novos equipamentos
A fábrica informou que todas as versões do Renegade saem com controles de tração e estabilidade, freio de estacionamento eletrônico e rodas de liga leve. A partir da Longitude, há uma nova central multimídia, com tela de 8,4 polegadas, com conectividade Android Auto e Apple CarPlay. A opção de entrada, Sport, também traz uma central multimídia, mas com tela menor, de 5 polegadas. Ainda no interior, os comandos do ar-condicionado são novos, e a versão Limited agora possui 7 airbags.

Um dos maiores focos de reclamação do Renegade, o porta-malas ficou maior, graças à adoção do estepe de uso temporário. Agora, são 320 litros, mesma capacidade do Citroën C4 Cactus, e menor do que os grandes rivais, Honda HR-V, Nissan Kicks e Hyundai Creta, todos na casa dos 430 litros.

A Jeep decidiu manter as motorizações que o Renegade utiliza desde o lançamento. Isso inclui o eficiente 2.0 turbodiesel de 170 cavalos e 35,7 kgfm de torque, associado ao câmbio automático de 9 marchas e tração 4×4 com seletor de terreno.

Por outro lado, ainda não será dessa vez que o Brasil terá os novos motores turbo a gasolina, baseados na família Firefly. Em vez de ser equipado com o 1.3 de 150 cv, o mercado local segue com o antigo 1.8 flex de 139 cv, que não é referência em desempenho ou consumo de combustível. Ele pode ser ‘casado’ com a transmissão manual de 5 marchas, ou com a automática, de 6 marchas. A tração, nesse caso, é sempre dianteira.

Previous Médicos de Aracaju suspendem greve após assembleia
Next Wesley Safadão convoca fãs ‘vestidos de branco’ para o Garota White