Veganismo e vegetarianismo: pelo bem do meio ambiente e dos animais


Cresce o número de pessoas que eliminam a carne do cardápio

Pesquisar sobre a crueldade da indústria de alimentos com os animais não é tarefa fácil, são informações que assustam e fazem muitos repensarem sobre o consumo, diminuindo ou até eliminando o consumo de carnes e laticínios. Porém a transição não é tão simples e causa dúvidas.

A nutricionista, Mônica Menezes, explica a diferença entre as dietas que  eliminam o consumo de carne. “A dieta vegetariana Estrita, é quando se exclui todos os itens de origem animal da dieta, inclusive, ovos, leite e mel. É importante não confundir a dieta estrita com a resistrita, que é uma conduta nutricional em que, realmente, há restrição na variedade de alimentos devido a alguma necessidade específica. O que não é o caso da dieta vegetariana estrita, em que se pode usufruir da imensa riqueza e variedade do Reino Vegetal. A dieta ovo-lacto vegetariana é quando além dos vegetais, inclui-se ovos, leite e derivados”, comenta.

Mônica nota um crescimento de interessados em mudar seus hábitos no seu consultório, principalmente dos adolescentes e jovens. “Sinto este movimento crescente, como um processo natural da evolução humana, em que estamos despertando, nos sensibilizando, nos permitindo ver e sentir o que não víamos antes, revendo a nossa relação com “o todo”,  e isto inclui rever a nossa conduta com os animais não humanos, também. Assim, o veganismo não é “meramente” uma filosofia de vida. É mais que isso! O Veganismo é a denominação de um importante movimento, em que se assume uma nova postura diante da vida, baseado no respeito aos animais não humanos, que refleti numa conduta mais pacífica e harmônica com os mesmos, sendo este, aspecto mais ressaltado do movimento, a nossa relação humana com os outros animais”, destaca.

O administrador, Diogo Gambardelha, é ovolactovegetariano há cerca de um ano depois de assistir o documentário chamado A carne é Fraca que apresenta a verdade nua e crua da indústria de alimentos. Diogo explica as variações do vegetarianismo.

“Vegano não come carne e nada de origem animal. Na verdade a maioria dos vegetarianos são ovolactovegetarianos (consome ovos, leite e derivados) e a minoria é Vegetariano Estrito, que aí sim não comem nada de origem animal. Já o Veganismo é além dessa parte de alimentos, envolve também o uso de roupas, comesticos, circo com animais e tudo mais que envolve exploração animal, também um cuidado a mais com a natureza e tal”, comenta.

O administrador conta como tem sido a experiência e destaca que ainda pretende parar com ovos, leite e derivados em breve também, mas em cidade pequena é muito restrita às coisas. “A experiência está sendo ótima, com o tempo você se adapta. Além de fazer com que a gente descubra novos tipos de alimentos, sai do sempre ter carne pra acompanhar. Hoje em dia existe substituto pra praticamente tudo kkkk vendem até ovo vegano nos EUA… Aqui em Aracaju tem muita coisa também, hamburguer, feijoada, coxinha de “frango” (a famosa coxinha de jaca), quibes de soja, de lentilha”, explica.

Cuidado nutricional

A nutricionista Anne Prado explica que é necessário ter cuidado na hora de parar de comer carne. “A proteina animal (carne) é composta por vários nutrientes. Para suprir nutricionalmente a substituição dessa proteína é necessario incluir na dieta combinações desses nutrientes. Como estão excluídos da dieta os derivados de animal, muitos nutrientes acabam ficando de fora e precisam ser compensados de alguma forma. Os aminoácidos são compostos que se juntam para formar as proteínas, necessárias para quase todas as funções do organismo”, comenta.

Anne Prado explica que é possível suprir as necessidades nutricionais com suplementos e uma dieta variada. “O ferro está presente na carne, sobretudo a vermelha. Para driblar essa falta, os veganos devem recorrer a outras fontes de ferro como o trigo, os cereais, as leguminosas, os vegetais verde-escuros – especialmente a couve -, e as frutas secas. A vitamina B12 é encontrada em carnes e peixes. Os veganos encontram outras opções: os alimentos enriquecidos como cereais, extratos de levedura. Mesmo assim, a vitamina B12 costuma estar em falta na dieta de veganos e vegetarianos. Os veganos precisam buscar suprir tal falta com o uso de suplementos. Para suprir as necessidades de ácidos graxos ômega 3 na dieta vegana,  encontramos esses nutrientes  na soja, linhaça e nozes”, explica.

Previous Micropigmentação cresce em Aracaju
Next Suspeitos de tráfico de drogas são presos em Aracaju