Obesidade: é preciso prevenir


18,9 % dos brasileiros tem problemas com o sobrepeso

Na semana que é comemorado o dia da prevenção a obesidade, 11, o CINFORM buscou profissionais para discutir sobre o tema. Segundo a pesquisa Pesquisa de Pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção de Doenças Crônicas divulgados pelo Ministério da Saúde, quase 18,9% dos brasileiros sofrem com obesidade.

Entre os males causados pela obesidade como diabetes, pressão, o sobrepeso pode prejudicar os ossos, como explica o ortopedista, Rafael Gonçalves. “A obesidade está associada a artrose das articulações que recebem carga, a saber: quadris, joelhos e tornozelos. Isso se deve ao fato de que quanto mais pesado o indivíduo está, maior a sobrecarga mecânica nesses pontos específicos. Pesquisas recentes apontam ainda que o excesso de peso está relacionado a diminuição da massa óssea, que nada mais é que a Osteoporose. Cumpre lembrar que a obesidade relaciona-se ainda com doenças como diabetes, hipertensão, doenças cardiovasculares e alguns tipos de câncer”, comenta.

O nutricionista Matheus Ezequiel comenta que a falta de cuidado com o corpo pode acarretar a obesidade. “ A obesidade é uma doença caracterizada pelo excesso de tecido adiposo, que pode ser causado por vários fatores. Sem duvida, o desleixo com alimentação saudável e prática de exercícios físicos regulares ajudam a adquirir a doença. O excesso de gordura pode levar ao desenvolvimento de diabetes tipo dois, doenças do coração, pressão alta, artrite, apnéia e derrame. A baixa auto estima também é um agravante do quadro”, explica.

Matheus destaca que na hora de lutar contra obesidade é possível sem cirurgia e identificando o real problema.  “Um rastreamento do metabolismo é fundamental para identificar os fatores secundários que estão dificultando a perda de peso do paciente, causas hormonais, genéticas e psicológicas devem também ser levadas em consideração para que o tratamento tenha sucesso. A reeducação alimentar e prática de atividade física são uma maneira de perder massa gorda e evitar a cirurgia bariátrica. Essa por sua vez tem eficiência na perda de peso, mas não na qualidade dessa perda visto que a maioria das pessoas perde muita massa muscular, sem conta com a deficiência de absorção de nutrientes”, conta.

A professora de educação física, Mary Carvalho, destaca que a atividade física é um dos melhores tratamentos para obesidade. “A obesidade está sendo estudada e chama a atenção para seu crescente número. É considerada uma das maiores causas de mortes de doenças cardiovasculares em todo mundo.  Hoje, já podemos considerar um problema de saúde pública. A prática regular de atividade física vem como aliada tanto na prevenção da obesidade, quanto como terapia de tratamento para pessoas que já estão obesas”, explica.

Mary destaca os benefícios da atividade física. “O treinamento Físico consegue reduzir consideravelmente a gordura corporal,  regular a taxa de açúcar no sangue reduzindo o risco de diabetes, normaliza a pressão arterial, retardam o processo de envelhecimento e auxiliam a construção e a manutenção da massa óssea. Além de principalmente, prevenir doenças cardiovasculares, tromboses, artrites e outras doenças provenientes da obesidade”, comenta.

A professora ainda destaca que mudanças de hábitos simples são necessárias. “Não quero dizer com isso, que se devem treinar todos os dias numa academia por exemplo. Mas sim, usar ou corpo todos os dias com movimentos corriqueiros que muitas vezes acabamos deixando de lado. Como subir uma escada ao invés de usar o elevador, sair para comprar algo a pé ao invés de ir de carro, assim como caminhar, nadar, pedalar, praticar esportes… enfim. Existe uma infinidade de possibilidades de atividades físicas que auxiliam nesse tratamento. O importante é ser bem orientado”, destaca.

Previous Fake News: a onda errada da internet
Next Empresa Enviar começa a funcionar em Aracaju