Henri Clay: “sonho de ter um país mais justo”


Presidente licenciado da OAB também defende pré-candidatura de Valadares Filho ao governo

O advogado Henri Clay se licenciou da presidência da Ordem dos Advogados do Brasil em Sergipe (OAB/SE) para lançar a sua pré-candidatura ao Senado para “realizar o sonho de ter um país mais justo”. Filiado ao Partido Pátria Livre (PPL), o advogado faz parte do grupo que defende a candidatura do deputado federal Valadares Filho (PSB) ao Governo de Sergipe e critica atual cenário político.

“Decidi me afastar da OAB/SE para colocar meu nome à disposição da população por entender que há momentos em que as condições da vida política de um país impõem a necessidade de novas alternativas, que promovam uma autêntica renovação política baseada na ética social. A atividade político-partidária passou a ser associada ao banditismo, à promoção exclusiva de interesses pessoais e do privilégio de grupos. Esse desencanto, compreensível em uma conjuntura em que o próprio presidente da República é reprovado por mais de 95% da população, coloca em xeque toda a ordem democrática. É preciso resgatar a esperança no futuro”, defende.

Henri Clay disse que a atuação política sempre fez parte da sua vida. “Desde o Grêmio Escolar, quando secundarista em Lagarto, ao Diretório Acadêmico na Universidade até a Seccional Sergipe ao Conselho Federal da Ordem dos Advogados. O desafio que encaro agora, com minha pré-candidatura ao Senado, é de ampliar essa atuação para além do espaço de minha categoria profissional. O que me move nesse momento é o desejo de somar, de contribuir com a reconstrução da democracia, com a defesa e restauração do direito das pessoas, com o sonho de um país mais justo para todos. Tenho a firme convicção de que o resgate da esperança passa pelo resgate da confiança das pessoas no poder de seu voto. Acredito no estabelecimento de uma nova política, baseada na ética social”.

Partido e alianças
O pré-candidato é filiado ao PPL, que está aliado com o PSB para as eleições majoritárias deste ano. “Escolhi baseado na absoluta identificação com os ideais e com o programa do partido, que está prestes a completar dez anos de existência e resume já em seu slogan “coragem para mudar””, diz Henri Clay.

“É a convicção que move essa minha pré-candidatura. É preciso assumir posição para mudar a realidade política que nos cerca, para apresentar novos caminhos para Sergipe e para o Brasil”.

O presidente licenciado da OAB defende a pré-candidatura de Valadares Filho para o Governo de Sergipe. “É um nome qualificado pelo exercício de seus mandatos na Câmara Federal e credenciado pelo largo apoio recebido nos últimos pleitos”.

Cenário político
Henri Clay disse que avalia o atual cenário político com muita preocupação. “Em todas as áreas, há sinais flagrantes do desacerto das políticas públicas. Na Educação, verifica-se queda no número de matrículas, precarização da estrutura das escolas e da qualidade de ensino. A Saúde é marcada pelo colapso no atendimento aos cidadãos, pela saturação das unidades de urgência e de especialidades e pela lamentável politização da pasta. Na Segurança Pública, nos assusta e nos envergonha o fato de Sergipe, outrora tão pacífico, ter se convertido, nos últimos anos, no estado mais violento de todo o país. Não há como mascarar. Vivemos um quadro dramático”, lamenta.

Em relação ao trabalho realizado pelos atuais senadores por Sergipe, Henri Clay disse que a bancada é plural. “O senador Valadares tem seu mandato marcado pela assiduidade, a presença na discussão dos grandes temas nacionais e por uma trajetória de destaque no Parlamento. É um senador “ficha limpa” e a aprovação a seu nome é atestada pela própria longevidade de seu mandato e pelo apoio popular que todas as pesquisas demonstram possuir. Os outros senadores (Eduardo Amorim e Maria do Carmo Alves), representam uma forma de se fazer política que se distancia de minhas convicções. Uma forma consagrada pelos próprios partidos que integram, o PSDB e o DEM”, alfineta.

“Meu percurso na vida pública está fortemente ligado à minha atuação na OAB. Por três mandatos exerci a presidência da Seccional Sergipe. Tenho muito orgulho por haver ocupado funções de representação de minha categoria profissional. A convivência democrática e o alto nível do debate político, que sempre caracterizaram a Ordem dos Advogados foram fundamentais para a minha formação política e o desenvolvimento de minhas concepções. Se for eleito senador vou defender intransigente dos direitos das pessoas por uma país mais justo”, finaliza.

Previous Itabi: uma ilha de calmaria e tranquilidade
Next Copa do Mundo afeta comércio sergipano