Com açúcar e com afeto


(Foto: Igor Azevedo)

Nanã Trio vem conquistando público sergipano

Com menos de um ano de estrada, o Nanã Trio já vem conquistando fãs e se destacando no cenário local. Logo na estreia do trio, Rebecca Melo, Lygia Carvalho e Glória Costa apresentaram um repertório formado apenas por músicas de Chico Buarque, algo que as próprias cantoras consideram “audacioso”.

“As músicas de Chico são desafiadoras, têm harmonias complexas. Cantar um repertório assim é audacioso, eu diria. Porém, foi importante demais; foi um acerto. Escolher as músicas foi um processo que levou meses, de conversas e audições, até fecharmos o repertório. Foi difícil abrir mão de outras tantas músicas que não conseguimos inserir nesse primeiro momento”, lembram.

Para dar às músicas do repertório a identidade do trio, o diretor musical Denisson Cleber e a professora de técnica vocal Jeanine de Bona desenvolveram os arranjos para as canções.

“Os arranjos foram pensados especialmente para gente e para esse show. Tentamos imprimir nossa identidade, nosso jeito, numa obra tão significativa, dando uma interpretação nova às músicas, que já têm tantas interpretações consagradas”, acrescentam.

(Foto: Pritty Reis)

REVELAÇÃO DOS FESTEJOS JUNINOS

Para o período junino, o Nanã Trio preparou mais um repertório especial. Intitulado “Mungunzá”, o show foi apresentado em diferentes palcos, entre eles o Forró Caju e o Arraiá do Povo, levando sempre o mais bom e tradicional forró.

“Era algo que queríamos muito porque traz a carga da vivência, da nossa história, memória afetiva das raízes nordestinas, da reverência à nossa tradição”, comentam.

E os meses de trabalho intenso e de dedicação dedicatórias Rebecca, Lygia e Glória, e dos músicos Pedro Rochadel, Anselmo Júnior, Ismark Nascimento, Sidiclei Santos, Denisson Cleber e Fábio Cavalieri para concretizarem o show foram recompensados. Não só pela receptividade do público, mas também pelo Troféu Sanfona de Ouro recebido pelo trio considerado a revelação dos festejos juninos de 2018.

“Foram uns 7 shows em um mês e algumas participações, incluindo os principais editais, como do Forró Caju e Arraiá do Povo, além do Jota Inácio. Foi muito mais do que sonhamos. O Sanfona de Ouro coroou tudo isso, encerrando da melhor forma o ciclo. Estamos muito felizes”, comemoram.

(Foto: Pritty Reis)

RECEPÇÃO

As vocalistas do Nanã Trio se dizem surpresas com a receptividade do público e dos profissionais do ramo, que lhes incentivam a continuar crescendo e criando novos projetos.

“Tem sido uma sucessão de surpresas para nós. Claro que quando a gente faz algo com tanto amor, a gente espera que as pessoas gostem. Mas foi muito feliz a compreensão das pessoas do que a gente vem tentando passar. Nunca foi sobre perfeição. É sobre tocar as pessoas, sobre colocar no palco o que trazemos na alma”, comentam.

PRÓXIMOS PASSOS

Com o final dos festejos juninos, as meninas do Nanã Trio já planejam um novo repertório e participações em alguns festivais.

“Estamos maturando ainda o repertório e os detalhes da proposta desse novo trabalho, mas já sabemos que guardará coerência com o que já apresentamos até agora”, comentam.

Apesar do sucesso que tem feito, o trio ainda não possui nenhuma gravação oficial. Segundo as vocalistas, apesar do pedido de várias pessoas que já conhecem o trabalho do Nanã Trio, elas ainda esbarram em frente dificuldades operacionais para realizar uma gravação.

“Estamos esboçando um projeto para ver se conseguimos apoio para gravar um primeiro trabalho, mas acreditamos que na hora certa vai acontecer. É um caminho natural”, finalizam.

Previous Cores e história nos muros de Lagarto
Next Após morte de estudante, Brasil chama de volta embaixador em Manágua