Edise participa da 22ª Feira Pan-Amazônica do Livro


O evento reúne grandes editoras brasileiras

A Editora do Diário Oficial do Estado de Sergipe – Edise participa da 22ª Feira Pan-Amazônica do Livro, que acontece entre os dias 02 e 10 de junho, no Hangar Centro de Convenções e Feiras da Amazônia, em Belém (PA). Nesta edição, para serem homenageados foram escolhidos como patrono o poeta paraense Age de Carvalho e o país, a Colômbia.

No ano passado, a Feira recebeu 1,4 mil títulos de cinco editoras e 15 mil exemplares colocados a venda. Mas o evento também se pauta pela valorização do escritor local, em 2017, o estande dos Escritores Paraenses teve 350 autores cadastrados.

Para o presidente da Empresa de Serviços Gráficos de Sergipe – Segrase, Ricardo Roriz, o Governo do Estado, por meio da Edise cumpre mais uma vez a missão de divulgar a produção literária sergipana. “Levamos para a Feira Pan-Amazônica do Livro nossas obras que tem alto padrão de qualidade, produzidos por autores sergipanos e por personalidades nacionais e internacionais que promovem a educação, a cultura filosófica, científica e literária e o desenvolvimento tecnológico de Sergipe”.

Na 22ª edição a programação é diversa, quem visita o evento pode assistir espetáculos de teatro, Mostra Pan-Amazônica de Música, shows culturais e infantis, gincana literária, saraus, contação de histórias, encontro literário e com escritores paraenses, o seminário Colômbia Renasce. Na manhã do dia 9 de junho, haverá o VIII Encontro de Cordelistas da Amazônia.

A Edise participa da Feira com os livros: Terra Xocó, de Avelar Araújo Santos Júnior; Celebrações e Estudo do Folclore Brasileiro, de Luciana Aguiar; Couro Curtido, de Val Carvalho; O Canto do Uirapuru, de Aldenise Cordeiro; Dicionário do Nordeste, de Fred Navarro; Contradições da Romanização da Igreja no Brasil, de Claudefranklin Monteiro; Imprensa Oficial do Estado de Sergipe – 123 anos, de Ana Lícia de Melo Silva; Relicário Poético de Epifânio Dória, organizado por José Francisco Menezes, Gilzada Morais e Naná Garcez de Castro Dória e Representações de Homossexuais nos livros Didáticos de História, de Márcia Barbosa Silca.

Age de Carvalho
Estreou na literatura em 1980, com o livro ‘Arquitetura dos Ossos’ e se firmou no mundo das letras com uma produção bem recebida por autores e leitores. Entre elas destaca-se o que produziu em parceria com o poeta Max Martins com quem escreveu “A fala entre parêntesis”.

Colômbia
O nome da Feira surgiu com o enfoque de estabelecer um enlace com os países de cultura latina. A Feira Pan-Amazônica já homenageou o Peru, a Argentina, Cuba e agora, a Colômbia que tem uma rica cultura, muita personalidade, inclusive na gastronomia, no folclore, na música e na sua ligação musical conosco através da salsa, da cúmbia, entre outros.

Previous 560 veículos são disponibilizados no 48º Leilão do Detran
Next Prefeitura de Lagarto divulga programação do Festival da Mandioca