Bombeiros alertam para uso de fogos de artifício nas festas juninas


Cuidado deve começar no momento da compra dos fogos

O Corpo de Bombeiros orienta a população fazendo alerta sobre o uso de fogos de artifício durante o período das festas juninas e jogos da Copa do Mundo. O alerta é, especialmente, para a utilização dos produtos próximo a crianças, na maioria das vezes, as mais atingidas pelo uso indevido. O número de ocorrências de acidentes aumenta neste período.

É preciso alguns cuidados ao manusear os artefatos. O diretor de Serviços Técnicos do Corpo de Bombeiros, coronel Geraldo Menezes, explica que geralmente os acidentes acontecem pela manipulação errada dos fogos. No caso de queimaduras, o ideal é lavar o local com água abundante.

“Não se deve passar nenhuma pomada e também não se deve estourar as bolhas que se formam. É recomendado que em casos de queimaduras a pessoa se dirija imediatamente ao hospital”, alerta.

Compra de produtos
O cuidado com fogos de artifício deve começar no momento da compra dos fogos. Para os bombeiros, apenas estabelecimentos autorizados e especializados podem vender os fogos de artifício, e alertam os consumidores: não se deve comprar produtos origem duvidosa, e principalmente, não tentar o reaproveitamento desse material.

O Corpo de Bombeiros ressalta que realiza uma vistoria em todos os estabelecimentos que vendem esse tipo de material anualmente. “Durante a vistoria nós detectamos se o material está dentro da validade, se possui o selo do Inmetro e se possui instruções sobre o modo de usar”, diz coronel Menezes.

Outra orientação é não soltar fogos próximo a áreas que contenham material de fácil combustão, como postos de gasolina e depósitos de gás, entre outros.

“Também orientamos todo cuidado com a rede e distribuição de energia, que, se atingida, pode ocasionar um dano ainda maior. Todas as medidas de segurança são fundamentais para evitar acidentes”, reforça o coronel, lembrando que, em caso de acidentes, a população deve acionar imediatamente o Corpo de Bombeiros através do 192.

O coronel Mendes alertou que o consumidor deve pedir ao proprietário de barracas de fogos a devida regularização do local. “Normalmente as barracas são construídas em áreas devidamente isoladas, obedecendo distâncias mínimas em relação a residências, hospitais, escolas etc. Vender em residências também é uma forma clandestina, pois só se deve comercializar fogos em estruturas regulamentadas, que garantam a segurança necessária a quem vai comprar, obedecendo as normas necessárias”, ressalta.

Reforço na segurança
O Corpo de Bombeiros Militar de Sergipe informou que até o dia 30 de junho, contabiliza-se um total de 125 bombeiros militares atuando em eventos realizados em oito municípios: Aracaju, Areia Branca, Capela, Estância, Itabaiana, Itaporanga, Pirambu e Nossa Senhora do Socorro.

De acordo com o diretor Operacional do CBMSE, tenente-coronel BM Fábio Cardoso, os bombeiros estão atuando em 25 prevenções neste período junino, com a missão de desenvolver ações preventivas de fiscalização quanto à segurança contra incêndio e pânico, além de realizar atendimento emergencial de combate a incêndio e de busca e salvamento. “O CBMSE está de prontidão com o serviço operacional ordinário nas suas unidades operacionais, cobrindo todo o estado de Sergipe, podendo ser chamado em caso emergência, por meio do número 193. As escalas de serviço extraordinário para os festejos juninos começaram no dia 31 de maio e contam com bombeiros voluntários a trabalharem em seu período de folga, recebendo gratificação”, diz.

Segundo o diretor de Atividades Técnicas da corporação, tenente-coronel BM Wesley Araújo,foram aprovados, este ano, 104 processos temporários de barracas de fogos de 19 cidades: Aracaju, Tobias Barreto, Lagarto, Boquim, São Cristóvão, Campo do Brito, Pinhão, Canindé de São Francisco, Maruim, Nossa Senhora da Glória, Nossa Senhora das Dores, Barra dos Coqueiros, Estância, Feira Nova, Capela, Itabaiana, Nossa Senhora do Socorro, Porto da Folha e Salgado. Na capital, os locais de venda autorizados estão nos bairros Aruana, José Conrado de Araújo, Coroa do Meio, Farolândia, Lamarão e São Conrado.

Não é permitida a venda de fogos do tipo espada, buscapé, pitú nº 03, meio fogo, girândulas, rojões (diâmetro limitado a uma polegada e meia), bombas de alto teor explosivo com numeração superior a 20 e bombas de bréu.

Previous O socialismo no Barco de Fogo
Next PV aposta na pré-candidatura de Reynaldo Nunes ao Senado