Comerciantes apostam no Dia das Mães para driblar a crise


Lojistas estão otimistas e esperam aumento de vendas de 5%

O Dia das Mães é a segunda data mais importante para o comércio e os empresários estão otimistas. Faltando apenas duas semanas para a comemoração que será realizada no dia 13 de maio, a expectativa é de aumento nas vendas de até 5% em relação ao mesmo período do ano passado, segundo a Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas de Sergipe (FCDL/SE).

“O Dia das Mães é uma data muito importante e só perde para o Natal. Por isso o comércio sergipano aposta nas vendas, na recuperação das perdas obtidas nos últimos três meses e fazer bons negócios para alcançar um melhor posicionamento do varejo daqui para frente. A previsão é que as vendas cresçam cerca de 5%, número extremamente gratificante para nós”, explica Edivaldo Cunha, presidente da FCDL/SE.

Para a FCDL, setores como vendas de roupas e sapatos devem ser bem aquecidos, porém os móveis, eletrodomésticos e eletrônicos tem caído no gosto popular e se apresentam como alternativas das lembranças ofertadas por seus filhos às mães.
Outros segmentos deverão também estar em alta nas escolhas dos presentes. “Os filhos também vão optar por comprar presentes para as mães nas floriculturas, bares, restaurantes, hotéis, lojas de informática e de celulares, relojoarias e joalherias”, aposta Brenno Barreto, presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Aracaju.

Economia
A pesquisa da Federação do Comércio dos Bens, Serviços e Turismo sobre a intenção de compras e comemorações para o Dia das Mães, aponta que os filhos pretendem gastar mais neste ano. O preço médio dos presentes será de R$ 137,88.

De acordo com o levantamento, a preferência de presentes continua sendo roupas (25,39%), calçados (13,25%), bolsas e acessórios (10,83%). A pesquisa ainda mostra que a maioria das compras deve ser feitas em lojas do Centro e shoppings (55,83%) e o pagamento em dinheiro (71,78%).

João Pereira, que é gerente de uma loja de calçados e acessórios femininos, disse que o movimento começa a ficar mais intenso há duas semanas da data comemorativa. “A expectativa de vendas é positiva e já começamos a colher os frutos das promoções lançadas na semana passada. Estamos fazendo de tudo para oferecer o melhor preço com conforto para os clientes. Renovamos o estoque para ofertar mais opções de presentes”, para este ano.

Além do valor mais alto dos presentes, o Dia das Mães também deve movimentar restaurantes e supermercados. Segundo a pesquisa, os gastos com as comemorações para comprar refeições e bebidas devem aumentar 15,70% em relação ao ano passado.
“Muitas pessoas ainda preferem reunir a família para comemorar a data especial. Então esse setor tem ainda mais possibilidades de crescimento. É hora de inovar e oferecer uma melhor qualidade, preço e atendimento para reconquistar o cliente que deixou de sair para almoçar e jantar fora com a família por causa da crise”, alerta o economista André Gonçalves.

Atrasados
Prática comum entre os brasileiros, a mania de deixar tudo para a última hora também está presente neste período. É na semana anterior ao Dia das Mães que o comércio registra um salto substancial nas vendas. Até o domingo, serão dias de lojas cheias de filhos escolhendo presentes.

“Ainda não sei o que vou comprar para a minha mãe e sempre acabo comprando na véspera. Mas os preços ficam mais altos e a oferta diminui. Quero chegar um pouco mais cedo neste ano. Minha mãe gosta muito de perfumes, bolsas e maquiagens, devo comprar algo nesse segmento para agradá-la”, adianta.

O estudante Francisco Silva também ainda está indeciso e garante que sempre deixa para escolher o presente de última hora e que, apesar de faltar poucos dias, ainda não sabe o que presentear. “Não sei ainda. Talvez eu compre um celular ou outra coisa. Se eu pudesse, daria a ela uma viagem inesquecível. Como ainda não posso, vou ter que me contentar com uma coisa mais simples”, garante.
A professora Ana Maria foi uma das que deixou para comprar o presente na semana anterior à data no ano passado, aprendeu a lição e se antecipou neste ano. O mimo eleito casou com a personalidade da mãe. “Comprei uma sandália. Ela é muito vaidosa e por, certamente, irá gostar”, comenta.

Publicidade na mídia
O publicitário Lúcio Flávio alerta que para faturar é necessário estar em evidência na mídia. “O Dia das Mães é considerado a segunda maior data sazonal mais relevante para o comércio e é indiscutivelmente um momento em que todas as pessoas buscam homenagear uma das pessoas mais importantes da sua vida, seja ela uma mãe biológica ou afetiva. Neste momento, as pessoas não pensam em economizar. Não há valor que mensure o amor de uma mãe”.

Com o excesso de ofertas e de anúncios, o lojista deve cada vez mais procurar oportunidades inéditas de contato com o cliente. Tem que ser inovador, diferente e relevante. “Tem que sair do quadrado para ser percebido em todo esse barulho de opções. Senão ele vira paisagem e o cliente não o encontra. Não dá para ter uma loja e achar que o cliente vai adivinhar que a loja existe. É obrigação da loja se fazer presente na mente e, mais do que nunca, no coração do consumidor através de boas experiências. Não tenha dúvidas que quem não for visto, não será lembrado” garante.

O CINFORM oferece diversas opções de formatos de publicidade para dar visibilidade ao produto ou serviço ofertado. Para saber mais detalhes os interessados devem entrar em contato com a Publimídia.

Previous Minho San Liver prepara show especial para lançar novo trabalho e comemorar 23 anos de sucesso
Next Dietas da moda com consumo de gorduras e proteínas com baixa ingestão de carboidratos fazem sucesso