CINFORMANDO: mea culpa de Almeida Lima, o trabalho e os “mimimis”


Em meio a "entourage" em posse no Huse, Belivaldo e Almeida, lado a lado (Foto: ASN)

Defender Almeida Lima, atual secretário de Saúde, não é fácil. E também não é necessário, pois Almeida sabe se defender muito bem, diga-se. Mas é preciso reconhecer: a coragem dele ao admitir que falhou no episódio do Centro de Nefrologia – que está funcionando muito bem, obrigado, sem maiores alardes – é algo raro em pessoas de qualquer atividade. E quase que inimaginável na seara política. E é lógico que detratores dirão que o pedido público de desculpas, em entrevista a George Magalhães, na Fan FM, é uma tentativa de manter-se no cargo e blá-blá-blá. Mas não se engane: ações para se manter em cargos se dão nos bastidores. O que Almeida fez foi se expor, dar as caras, não culpando assessores ou assessorados, mas chamando pra si a responsabilidade. É, em suma, uma atitude de grandeza efetivamente incomum, principalmente em meio tantos agentes públicos superficiais e incompetentes. Como assumir responsabilidades é um ativo diferenciado, vale parafrasear minissérie em exibição pela Globo: “onde nascem os fortes” é no mesmo local em que alguém que já exerceu de um tudo na vida pública mantém a humildade de reconhecer erros para, assim, encontrar as soluções. Agora, resta a Belivaldo Chagas tocar seu governo em frente, deixando “mimimis” desnecessários de lado, ou então, em ato mais radical, exonerar Almeida, que, nesse caso, cairia. Mas, pelas suas recentes atitudes, cairia de pé.

Bela viola

Fechar o Palácio de Veraneio é atitude louvável por parte de Belivaldo Chagas (PSD). Mas mais louvável ainda seria expor quanto se economiza com tal fechamento. Mas aí a coisa degringola: iria expor Jackson Barreto (MDB). Eis um dilema para o Galeguinho.

Agora são elas? I

Será mesmo que o PT indicará Eliane Aquino para candidata a vice de Belivaldo? Apesar de achar a possibilidade um tanto quanto distante, a coluna não deixa de avaliar que se trataria de um passo em direção a uma espécie de confronto direto.

Agora são elas? II

Explica-se: apesar de algumas tentativas de tumultuar o processo, por parte de adversários, lógico, é cada vez mais provável e possível a escolha da vice de Itabaianinha, Janier Mota (PR), como pré a vice de Eduardo Amorim (PSDB). Mulher lá? Mulher cá, ora pois…

Bate ponto

A ex-prefeita de Itaporanga, Gracinha (PRB), estava lotada no Ipesaúde. Por conta da legislação eleitoral, foi exonerada, visto que é pré a estadual. Mas ela tem andado por demais justamente no… …Ipesaúde. O que será que Gracinha anda fazendo por lá, uma vez que não exerce mais o cargo que já ocupou?

 

Previous Ministério da Saúde apresenta ações para prevenção e controle da obesidade
Next DHPP e COPE cumprem mandado de prisão contra chefe do tráfico no Santa Maria