Renata Alves conquistou seu espaço na televisão e faz parte do time de estrelas da Record


Mulheres driblam preconceito e comemoram sucesso na carreira

O Dia Internacional da Mulher é comemorado no dia 8 de março e a data representa uma série de reivindicações e lutas. As mulheres conquistaram o seu espaço e se destacam no mercado de trabalho, ocupando desde funções comuns que antes eram executadas apenas por homens, até cargos de chefia de grandes empresas. A mulher moderna concilia a vida familiar com o trabalho e encontra tempo para cuidar do corpo e da mente. A sensibilidade delas faz toda diferença.
Sucesso na televisão

Renata Alves comanda o programa ‘Hoje em Dia’ ao lado de César Filho, Ana Hickmann e Ticiane Pinheiro. Ela faz sucesso em todo o país na tela da Record TV, mas para alcançar o sucesso a apresentadora teve que correr atrás dos seus sonhos.

“Quando adolescente, a certeza que tinha era de que queria uma profissão que não tivesse rotina, foi aí que optei por fazer comunicação. Cursei 3 períodos de Publicidade e Propaganda, mas certo dia em uma disciplina, precisei fazer um trabalho sobre televisão. Visitei a TV Atalaia e fiquei fascinada com a correria e dinâmica. Resultado: abandonei o curso e prestei vestibular na UFS, passei no curso de Rádio e TV. Deste momento em diante tive uma meta: trabalhar na TV. Ainda na universidade, trabalhei na TV Sergipe e tive experiência em rádio também: apresentei um jornal na Rádio Ilha FM”, recorda.

Após a formatura, Renata começou a trabalhar como repórter da TV Atalaia e logo foi convidada para integrar o time da revista eletrônica da Record, ‘Domingo Espetacular’. “Tudo foi muito rápido e comecei a fazer reportagens de rede. Foi aí que percebi que eles gostavam do tipo de reportagem que eu fazia, gostavam da naturalidade, da conversa fácil com as personagens, das risadas. Nesse período, o bordão que eu usava nas matérias, o ‘Bora lá’, ficou conhecido em todo o Brasil. Foram 9 anos no Domingo Espetacular, sempre cravando as maiores audiências do programa”, comemora.

O sucesso foi tão grande que Renata foi convidada para ser uma das apresentadoras do programa ‘Hoje em Dia’, tendo que se mudar para São Paulo em 2015 com a família.

“Encaramos tudo como uma grande oportunidade que não poderia passar. Foi resultado de um trabalho intenso, mas muito prazeroso. Tenho apoio incondicional da minha família, isso é fundamental tanto para o crescimento profissional quanto pessoal. A minha profissão não é fácil, antes viajava demais fazendo as reportagens. A minha família é a minha base, sei que se tivesse que ir para o Alasca eles estariam comigo no frio”, diverte-se.

A apresentadora revela seus segredos para estar sempre muito bem na televisão. “Faço atividade física pelo menos 3 vezes na semana e percebo que meu corpo agradece. Aliado aos exercícios, procuro não comer alimentos gordurosos durante a semana. Mas confesso que amo comer, o meu ponto fraco é o chocolate, mas estou tentando diminuir. Sou vaidosa, mas sem excessos. Até porque um programa diário ao vivo exige cuidados com cabelo, maquiagem, figurino e pele. Toda mulher gosta de se cuidar. Cada uma a seu modo”.
Renata conquistou seu espaço e representa muito bem Sergipe e o Nordeste na mídia nacional, mas admite que ainda é vítima de preconceito.

“O preconceito está longe de acabar. Confesso que diretamente nunca senti isso no meu ambiente de trabalho. Entendo que cheguei até aqui porque o público gostou do meu trabalho. Tenho muito orgulho em trabalhar em uma emissora que sempre respeitou minhas raízes, o meu modo de falar. Nas redes sociais, o preconceito é muito mais aparente. Hoje tenho cerca de 1 milhão e meio de seguidores nas redes sociais. Se, por ventura, aparecem algumas dezenas de preconceituosos e mal-amados para falar besteiras contra meu Nordeste, outros milhares estão lá para me apoiar e demonstrar o amor por nossa cultura”.
Conquista e respeito

Conquista
Sandra Virgínia trabalhava como vendedora e decidiu apostar em uma profissão dominada por homens. “Comecei a trabalhar como pintora há 8 anos. Eu já pintava a minha casa por lazer e adorava. Aos poucos fui fazendo alguns serviços para os amigos e recebi muitos elogios. Mas eu achava que era ainda um trabalho muito amador. Estudei mais sobre textura e tintas, me senti mais qualificada para exercer a profissão e hoje eu me realizo pintando”, orgulha-se.

A pintora disse que conquistou o respeito dos clientes com o tempo. “No começou foi bem delicado e sofri preconceito. As pessoas acharam estranho uma mulher ser pintora. Mas aos poucos fui mostrando meu serviço e conquistei respeito. O negócio cresceu e contratei um assistente, mas eu comando o serviço. Com relação ao meu cachê, eu também tive que conquistar e hoje recebo o mesmo valor que pagam para homens”, vibra.

Realização
A rodoviária Maria Gomes faz sucesso no trânsito como motorista de ônibus. “Sempre achei interessante a profissão. Gostava de ver meus colegas dirigindo. Eu já era cobradora, mas desejava o volante. Então me matriculei na autoescola, fiz os exames do Detran, passei e conquistei meu espaço. Sou muito feliz com a minha profissão e dirijo com muita tranquilidade, para mostrar aos passageiros que sei o que faço e para deixá-los bem calmos. Tenho uma relação muito boa com eles e isso facilita para que a viagem seja segura”.

Maria disse que, às vezes, sofre preconceito por exercer uma função que era vista pela sociedade como um ofício de homens.

“Em relação aos meus colegas, nunca sofri preconceito. Demonstro para eles respeito, profissionalismo e sou respeitada. Quanto aos usuários, às vezes ocorre de um não querer viajar no carro em que dirijo porque não confia em mulher no volante, mas encaro isso com tranquilidade. É normal. Faz parte do pensamento da sociedade. Nós, mulheres, estamos conquistando o nosso espaço, que antes era destinado somente a eles, homens. Busco mostrar que ser motorista é ser correto, parceiro no trânsito e ter amor ao trabalho. ”

A motorista disse que seu objetivo é seguir mostrando à sociedade que as mulheres são capazes e têm força no trabalho. “Estamos conquistando um novo espaço, que antes os homens não nos permitiam. Hoje, esse mesmo homem está entendendo que a mulher é capaz e passa a dar seu apoio. Minha família tem muito orgulho de mim. Nós mulheres somos capazes, temos o desejo de vencer e conquistar nosso espaço independente dos homens”, garante.

Renda extra e satisfação
Katia Isabel trabalha como motorista de Uber e revela que se realiza com a nova profissão. “Eu amo dirigir e percebi que existia uma necessidade de mais mulheres nesse segmento. Sempre fui cabeleireira e continuo atuando, mas estou gostando muito da nova profissão também, além disso o dinheiro extra está sendo super bem-vindo”.

Ela conta que foi muito bem recebida pelos novos clientes. “Estou sendo bem aceita, muitas mulheres sentem-se mais segura e felizes. Algumas apontam que as mulheres são mais prudentes no trânsito, isso faz com que tenhamos uma boa aceitação. Eu particularmente estou muito feliz”, comemora.

Empreendedorismo
Claudia Souza abriu mão da carreira de bancária e investiu no empreendedorismo. “Sou formada em Letras, estudo Direito e estou sempre me movimentando em busca de melhores condições. Decidi deixar o banco para abrir meu próprio negócio e estou amando. Adoro esse contato com os clientes e faço de tudo para agradar a todos. Sou proprietária de uma loja de roupas e estou sempre pronta para ajudar a todos nas escolhas das peças. Me deixa muito feliz quando o cliente sai satisfeito”.

A empresária é casada e detalha a rotina da mulher moderna. “Conquistamos o nosso espaço e agora precisamos fazer valer o empoderamento feminino. Minha vida é muito corrida e faço de tudo para conciliar o trabalho com os estudos e a família. Acordo todos os dias às 4h da manhã, faço caminhada de 7km, depois vou para academia, retorno pra casa, cuido dos afazeres, chego na loja às 9h e fico até às 19h, depois vou para faculdade, só chego em casa às 22h40”, detalha.

Previous Sonho de ser miss resiste ao tempo e continua em alta
Next Efeito Migratório