Músico sergipano Ismael Pereira tem carreira ascendente


Artista se formou em música pela Universidade Estadual de Minas Gerais e participou de diversas orquestras

O sergipano Ismael Pereira, 27 anos, natural de Lagarto, se formou em música na Universidade Estadual de Minas Gerais e se destaca no cenário musical com participação em diversas orquestras. Ismael se arrisca no canto e tocando violão e bateria, mas seu instrumento de formação é o trompete. O músico já gravou alguns discos e deu aulas de musicalização infantil.
Mas tudo começou por acaso ainda na infância em Lagarto. “Eu era uma criança muito agitada e meus pais me colocaram para fazer algumas atividades e logo eu me identifiquei com a música. O prazer em aprender foi imediato e aos poucos fui buscando mais conhecimentos”, recorda.

Ismael foi levando a música à sério e na adolescência fez parte da Filarmônica de Lagarto, participou da Orquestra Sinfônica de Sergipe e em seguida passou no teste para fazer parte da Orquestra Sinfônica Jovem do Palácio das Artes de Minas Gerais e teve que se mudar para Belo Horizonte.

“Fui selecionado quando tinha 16 anos e fiquei muito feliz. Foi o meu primeiro contato com o mundo profissional. Me dediquei muito para conseguir esta vaga e cheguei em Minas Gerais cheio de vontade de continuar aprendendo e crescer na profissão. Tudo era uma novidade e eu fiquei muito entusiasmado”.

Carreira
Após se formar em música a carreira de Ismael Pereira decolou e o sergipano passou a ser reconhecido como um músico conceituado. “Tudo foi acontecendo de forma muito tranquila e aos poucos fui conquistando o meu espaço. Toquei durante muitos anos na Orquestra Jovem do Palácio das Artes em Belo Horizonte e depois passei para a Big Band do Palácio das Artes. Fiz parte também do grupo de Choro do Palácio das Artes e diversas participações nas orquestras sinfônicas e filarmônicas de Minas Gerais”.

Ismael também foi músico militar, fez parte do 12º Batalhão de Infantaria de Minas Gerais, foi selecionado para a Academia da Orquestra Sinfônica de São Paulo e também tocou na Orquestra Sinfônica de Betim de Minas Gerais e gravou alguns discos.

“Gravei um disco de jazz com a Big Band do Palácio das Artes e outro com a Big Band da Universidade Federal de Minas Gerais”, orgulha-se.

O músico morou em Minas Gerais durante 11 anos e comemora a trajetória. “Cheguei com muita vontade de aprender e aproveitei as oportunidades. Me formei e continuei estudando, conquistando o meu espaço e também tive a oportunidade de ensinar música. É muito bom compartilhar conhecimentos com as minhas experiências adquiridas”, vibra.

Estados Unidos
Ismael está nos Estados Unidos fazendo aula particular na Academia de Jazz de Nova York. “Cheguei aqui para passear e acabei me interessando pelas aluas na academia para aprimorar meus conhecimentos. Estou com a minha esposa aproveitando a oportunidade para conhecer melhor a cultura americana e aperfeiçoar o inglês”.

Durante a temporada Ismael recebeu convites para fazer participações especiais e se apresentou para os americanos. “Fiz uma participação na banda sinfônica do Brooklyn que chama KCCB e na Big Band da Academia de Jazz de NY. Foram momentos muito enriquecedores e eu sou muito grato”.

Previous Trabalhos legislativos da Câmara Municipal de Aracaju começam nesta terça-feira
Next Abatedouros clandestinos ameaçam a saúde da população