Jovem morto por febre amarela tinha falha vacinal


Com mais de 500 casos confirmados de febre amarela no Brasil o Ministério da Saúde tem reforçado a importância da vacina que é uma das formas de prevenção da doença. O que muitos não sabem é que uma pequena parcela da população pode ter falha vacinal.

A Secretária Estadual de Saúde do Rio de Janeiro confirmou no dia 20 que o adolescente Marcelo Pêgo, morador de Teresópolis, foi a óbito devido a febre amarela, mesmo sendo vacinado segundo a mãe em 2013.

O infectologista Thiago Mendes explicou que nenhuma vacina é totalmente eficaz e que sua proteção depende de diversos fatores.

“Nenhuma vacina é 100% eficaz, algumas são mais que outras. Cerca de 1 a 5% da população não responde a vacina, depende do grau de imunidade da pessoa e de outros fatores. Para identificar o funcionamento da vacina é preciso realizar algumas sorologias, mas isso a nível individual, a nível de saúde pública não tem como já que só atinge um número baixo, é que nem ganhar na loteria”, comenta.

Previous Auditores fiscais aprovam greve por tempo indeterminado
Next Sexta violenta em Sergipe