É justo?


É justo pedir uma pizza de dois sabores e pagar toda pelo lado mais caro? Empresários, clientes e o Procon falam o que acham disso.

Antes que a discussão vá cair no Senado ou no STF, bora tentar achar essa resposta aqui: afinal, a pizza de dois sabores pode ser cobrada pelo preço do valor maior? Como isso tá rolando em Sergipe? Ouvimos empresários donos de pizzarias. Senta aí.

Segundo Fábio Neves, da Babbo, fazer mais de um sabor em uma mesma pizza atrapalha bastante. O trabalho de fabricação de uma pizza é extremamente mecânico, quando vc pensa “preciso fazer uma pizza sabor portuguesa” você vai rapidamente nos ingredientes que estão posicionados de maneira estratégica para isso, você ganha muito tempo. “Considerando que em uma noite de domingo se faz muita pizza, facilita bastante. O que algumas pizzarias alegam é que o tempo e o erro na montagem geram alguns custos extras que não estariam na composição do custo de uma pizza de único sabor, então para isso eles cobram o valor da pizza mais cara justamente na intenção de cobrir esses custos.”

Fábio ainda diz que diante dessa alegação ainda existe formas de resolver, inclusive cobrar uma taxa para as pizzas de mais de um sabor. “O que não é justo é vender uma pizza com sabores diferentes e cobrar pelo sabor da mais cara, sendo que o cliente efetivamente consumiu ingredientes diferentes.”

João Paulo, da Manjericão, tem adotado o valor de cada metade da pizza. O cliente paga exatamente o que consome. “Eu até entendo quem cobra pela mais cara, pois o tempo de montar uma pizza de dois sabores é praticamente o dobro de montar a de um sabor, porém até pelo momento em que vivemos em nosso país, em que somos explorados por todos os lados, achamos mais justo com o cliente que ele pague somente o que consumir, ou seja metade de cada sabor que escolheu”. Bacana.

Roberta Nascimento, do La Vecchia

Igual a Manjericão, segue o La Vecchia. Segundo a chef Roberta Nascimento, esse modelo foi mudado por lá também. “Antigamente cobrava-se o valor da mais cara, mas hoje já há uma jurisprudência e se paga proporcional. Não mais pelo valor da mais cara”.

O PROCON
O pensamento do Procon difere da ‘teoria da proporcionalidade’ e vai pra média geral. “A cobrança deve ser proporcional. Cobrar o valor da pizza mais cara é considerada prática abusiva, rechaçada pelo CDC. Então, o valor cobrado no caso de pizza de dois sabores, por exemplo, deve ser a média do valor de cada pizza individual. Exemplo hipotético: se a pizza de Calabresa custa 30 reais e a de Camarão 50 reais eu devo pagar proporcional caso realize o pedido de uma pizza dos dois sabores (metade de cada). Sendo assim, eu devo pagar 15 referente a metade de calabresa e mais 25 referente a metade de camarão, que totaliza 40 reais.” elucida o coordenador geral do Procon de Aracaju,  Igor Lopes.

É baseada nessa tese que a Ligue Pizza, do Sr. Augusto, procede. “Ela tem de ser comprada pela média dos preços e não pelo preço da mais cara, na Ligue Pizza nosso sistema faz a média dos preços”.

Rodrigo Neri, da Pomodoria

pes, da E como fica isso com uma pizzaria home rodízio, como o caso da Senhora Pizza, do chef Dudu Lopes. “Nós cobramos pela quantidade de pessoas, independente do sabor. Quanto a cobrança pelo sabor mais caro, apesar de ser comum em algumas pizzarias, não acho justo. Como a clientela está cada dia mais esclarecida, tal manobra pode configurar um ato desonesto. Essa manobra é feita com o único intuito de aumentar o lucro.”

Alô, quero falar com Rodrigo Neri? Fala Rodrigão, e aí na Pomodoria, como é? “Aqui cada vez mais os clientes me cobram pelo pagamento equivalente. E não vejo problema nisso cobrar o proporcional a cada sabor. Mas não existe nada que nos obrigue a está prática por aqui. Mas vale o bom senso e o bom relacionamento com cliente. Então na Pomodoria praticamos a cobrança proporcional.”

ATÉ A OAB ENTROU
“Há uma discussão sobre a pizza de dois sabores, mas até a OAB de São Paulo já deu parecer sobre isso que desde que esteja no cardápio a informação que o estabelecimento divide a pizza e cobra pelo valor mais caro não justifica lesar ao consumidor”, explica Fernando, da Santa Pizza. “Ele só vai querer 2 sabores se aceitar essa condição. Pra não se sentir lesado, basta pedir a pizza de um sabor só. Por que adotamos esse modelo, porque a pizza com 2 sabores demora 30% a mais do tempo pra ser feita. É uma prática que 95% das pizzarias. Desde que tenha no cardápio o aviso, deixando tudo transparente, não há problema. Mas vai do bom senso do cliente e da pizzaria. O que vale no final é a satisfação do cliente”.

Aí a gente fez uma enquetezinha marota no stories do instagram perguntando se o mundo anda essa beleza toda.

“Quando você pede uma pizza de dois sabores, é comum a pizzaria dizer que cobra o preço cheio do sabor mais caro?” 2167 disseram que sim. 447 disseram que não.

 

E NO IFOOD
Ah, no iFood a história é outra. Numa rápida pesquisa no app de pedidos delivery, encontramos várias pizzarias com um mantra padrão intitulado ‘importante’, e que diz – abre aspas – a pizza de mais de 1 sabor será cobrada pelo preço cheio do sabor mais caro. Fecha aspas.

Procurado novamente, o Procon prometeu atuar de imediato. Que os consumidores façam o mesmo.

Previous Avanço do mar afeta moradores da Barra dos Coqueiros
Next Cadê o emprego que tava aqui?