Livro ‘Histórias de baixa visão’ será lançado em Aracaju nesta quinta-feira


Lançamento será realizado a partir das 17h na Livraria Escariz

Os autores do livro “Histórias de Baixa Visão” iniciam 2018 com uma agenda intensa. A obra – organizada pela jornalista Mariana Baierle – será lançada em Aracaju no dia 1º de fevereiro (na Livraria Escariz, Rua Jorge Amado, 960 – bairro Jardins, às 17h). O evento marca o fim da etapa de lançamentos nas capitais dos estados onde residem os autores. Na ocasião estarão presentes quatro escritores: a organizadora Mariana Baierle, a professora Marilena Assis, o diretor de Empreendedorismo da Associação de Cegos do RS (ACERGS) Rafael Martins dos Santos e o editor do blog “Com Novo Olhar”, o jornalista sergipano Renato D’Avila Moura. “Histórias de Baixa Visão” é uma coletânea de 19 autores que retratam suas perspectivas de ser e estar no mundo a partir da ótica da baixa visão.

Renato D’Avila Moura é um dos autores do livro

O título foi lançado oficialmente no dia 18 de novembro de 2017 na Feira do Livro de Porto Alegre e, desde então, vem percorrendo o país. No mês de dezembro ocorreram lançamentos em Curitiba/PR e no Rio de Janeiro/RJ. No dia 27 de janeiro será a vez de São Paulo/SP sediar o lançamento. A atividade será na Livraria da Vila (Rua Fradique Coutinho, 915, bairro Vila Madalena, às 17h). Além disso, diversas atividades como palestras e bate-papo com os autores foram realizados nas cidades de Canoas/RS, Chapecó/SC, Nova Petrópolis/RS, Novo Hamburgo/RS, Panambi/RS, Porto Alegre/RS e Triunfo/RS. Na segunda semana de fevereiro estão previstas ainda atividades de bate-papo com os autores em Maceió/AL sobre o tema da baixa visão e questões pertinentes ao livro. Os horários e locais das atividades em Maceió estarão em breve publicadas na página no facebook.com/historiasdebaixavisao.

O livro “Histórias de Baixa Visão”, uma publicação da Editora CRV, dá visibilidade às questões relativas à deficiência visual, em especial à baixa visão. A obra traz relatos biográficos e crônicas de 19 autores acerca de suas experiências com a deficiência visual. A partir da obra é possível entender que a baixa visão é uma maneira muito própria de enxergar e de se relacionar com o mundo, o que coloca os autores – assim como uma grande parcela da população – em uma posição intermediária entre a cegueira e a visão dita “normal”.

Em todo o Brasil temos 6,5 milhões de pessoas com deficiência visual. Desse total, conforme o último Censo do IBGE, apenas 500 mil são cegas. Os outros seis milhões de indivíduos têm baixa visão, ou seja, um nível de visão inferior a 30%. A pessoa com baixa visão possui um resíduo visual bastante útil em diversas situações cotidianas, não sendo nem uma pessoa que enxerga normalmente nem uma pessoa cega.

Previous Rastreamento de celular: mito ou realidade?
Next Nome retificado um sonho dos transexuais