Paciente com esquizofrenia morre em atendimento hospitalar


Foi velado nesta quarta-feira o corpo de Ediclan da Conceição Silva, 29, que morreu no início da noite desta terça-feira (7), no Hospital São José, localizado no Bairro Santo Antônio, em Aracaju (SE). Segundo a família, ele tinha esquizofrenia e morreu após sofrer agressões por parte da equipe de um hospital da capital, depois de se recusar a tomar injeção para conter uma crise.

“Meu filho estava agitado porque ele tem problemas psiquiátricos e fui leva-lo para o Hospital São José para que fosse medicado. Lá, ele se recusou a tomar uma injeção e queria ir embora. O porteiro o impediu com um gesto de agressão. Comecei a gritar pedindo que outras pessoas ajudassem. E ai o porteiro chutou o peito do meu filho e deram um ‘mata leão’ e todo mundo caiu em cima dele”, relatou a mãe do paciente Larissa Marilia da Conceição, se referindo aos enfermeiros que estavam no local.

 Em seguida, ela contou que foi conduzida a uma sala enquanto o filho era atendido. “Me deram água e tentaram me acalmar. Depois sai e fiquei aguardando o meu filho pensando que iriam me chamar para cuidar dele. Ai passaram com ele em uma maca com soro e percebi que estava desmaiado. Quando vi que estavam fazendo massagem no coração dele acreditei que estava morto e me desesperei”, diz.

A mãe de Ediclan nega ter recebido qualquer informação sobre o estado de saúde do filho. “Ninguém me deu uma resposta, nem depois que os meus filhos chegaram ao hospital. Só depois de um tempo nos chamaram para uma sala e pelo semblante do médico entendi que ele estava morto. Queriam que a gente levasse o corpo para casa. E precisamos ir à delegacia para que o IML pudesse recolher o corpo”, afirma.

“Eles estão lá para salvar vidas e não para tirar. Eu levei meu filho andando e trouxe ele em um caixão. Ele só precisava de ajuda”, finalizou emocionada. O sepultamento está previsto para às 14h (horário local), no Cemitério São João Batista, em Aracaju.

O Instituto Médico Legal (IML) forneceu um atestado de óbito com causa da morte indeterminada e informou que um laudo deve ficar pronto em 30 dias.

Através de nota o Hospital São José informou que o paciente possui antecedentes de atendimento na unidade hospitalar e que realizava tratamento em Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas (Caps). Disse ainda ue foram seguidos os protocolos assistenciais relacionados ao quadro clínico do paciente, que contempla a contenção física a fim de garantir a segurança do próprio paciente. O hospital destacou que o paciente foi agressivo com a equipe e que morreu antes do diagnóstico ser concluído.

A Secretaria de Segurança Pública de Sergipe (SSP/SE) informou que o Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) vai investigar o caso.

Previous Almeida Lima pede que a polícia investigue denúncia de assédio sexual 
Next Vídeo do jornalista William Waack de cunho racista. Assista aqui