Detento hipertenso passa mal no Copemcan e morre no HUSE


A direção do Huse acredita em choque, mas a família dúvida do diagnóstico

A morte do detento Sinézio dos Santos, de 78 anos, no Hospital de Urgência de Sergipe, deixou interrogações na cabeça dos familiares. Não houve uma resposta segura do hospital, sobre a morte do homem. A resposta da direção do hospital, foi de que Sinézio teria sofrido um choque neurogênico, mas não confirmou a veracidade do fato, qual será investigado, por ser, esse, um tipo de choque causado por lesão na medula espinhal.

Sinésio estava internado desde o último dia 10, quando deu entrada em estado grave. A suspeita do hospital é de que ele sofreu o choque neurogênico – que precede a morte encefálica. O corpo da vítima passará por exames para descobrir as causas exatas do óbito.

HIPERTENSO

A Secretaria de Justiça e Defesa do Consumidor (Sejuc), informou que Sinésio sofria de hipertensão e era usuário de medicação controlada. Não se sabe ao certo o que pode ter levado o detento a passar mal e chegar ao óbito no hospital durante a cirurgia.

A família suspeita, segundo informações obtidas por servidores da unidade prisional, que não quiseram se identificar, que Sinézio teria sofrido pressão psicológica, o que motivou sua morte.

No exato dia 10, ele passou mal, foi socorrido e levado à enfermaria do presídio onde já não apresentava um quadro favorável. Tendo piorado foi encaminhado ao Huse, onde passou pela cirurgia, mas não resistiu e faleceu.
Sinézio dos Santos deu entrada no Compecan no dia 10 de agosto deste ano acusado de atentado violento ao pudor, de acordo com informações da Secretaria de Justiça e Defesa do Consumidor.

Saques do PIS /Pasep podem ser feitos a partir de quinta-feira

Previous Saiba como o horário de verão interfere na vida dos sergipanos
Next Associação de Brasileira de Recursos Humanos promove congresso de gestão de pessoas