Rodrigo Janot vai revogar imunidade e pedir prisão de Joesley Batista


A posição do procurador deve ser encaminhada nesta tarde para o ministro Edson Fachin, relator do caso no Supremo Tribunal Federal, responsável por tomar a decisão.
Janot deve revogar o benefício concedido porque entende que houve patente descumprimento de dois pontos de uma cláusula do acordo de delação que tratam da omissão de má-fé, o que justificaria rever os benefícios.
Em depoimento à Procuradoria Geral da República, Joesley Batista afirmou que não recebeu orientações do ex-procurador Marcello Miller para negociar o acordo de delação premiada, nem para gravar o presidente Michel Temer, no encontro no Palácio do Jaburu.
Leia mais

 

Previous Polícia Federal prende ex-ministro Geddel Vieira Lima, em Salvador
Next Enchefs: concurso de gastronomia movimentará Sergipe nos dias 15 e 16 de setembro