Renault Kwid sai da internet e vai para as ruas


Pelo jeito, antes mesmo de chegar às ruas em massa, o brasileiro já “faz gosto” pelo Kwid

Renault Kwid quer dominar mercado e trazer conceito SUV para o alcance de todos

Anderson Christian, de São Paulo*

veí[email protected]

A super estrutura montada para a apresentação oficial do Renault Kwid, realizada entre 2 e 3 de agosto, em São Paulo, foi à altura das expectativas (confira mais ao final da matéria). Mas o que chama a atenção mesmo é o fato de que a montadora, para lançar esse seu compacto com “alma” SUV – explicamos isso mais adiante, ok? – preparou uma estratégia de pré-vendas que superou toda e qualquer perspectiva inicial.

Ainda que não revelem números fechados, os executivos da empresa deixa escapar que o volume de pré-venda foi quatro vezes maior que o esperado inicialmente. Como o lançamento foi para concessionários e jornalistas, o famoso “2+2=4” entrou em ação e alguns números surgiram, ainda que como especulação: a Renault esperava 5 mil reservas na pré-venda. Mas o Kwid já passou de 20 mil!

Com isso, fica justificada a informação da empresa de que tudo no Kwid foi milimetricamente pensado: da “alma” SUV (Sport Utility Vehicle), que pesquisas detectaram como sendo um desejo dos consumidores; o apelo jovem no design; o preço baixo que condiz com o apelo familiar. Mas a reportagem enxergou um outro nicho: pela firmeza na condução, torque adequado para a categoria, altura do solo diferenciada, a Renault e seu Kwid vão disputar um filão do mercado automotivo que são os frotistas, em especial os que atuam na locação de automóveis.

IMPRESSÕES

Motor 1.0, 3 válvulas é que suficiente para garantir bom desempenho do modelo

Em um trajeto prioritariamente urbano como o que foi feito pelo repórter em São Paulo, entre o hotel e o estádio Alianz Parque, o Kwid se mostrou versátil, rápido o suficiente para aguentar o tranco de poucas, mas necessárias ultrapassagens, bem como provou ter torque para retomadas de velocidade. E quando se leva em consideração que a motorização 1.0 de 3 cilindros, isso faz toda a diferença – bem como o faz também o fato do nível de ruído interno ser muito aceitável.

Com uma altura do solo de 180 mm e ângulos de entrada e saída suficientes para encarar os buracos das ruas brasileiras, o Kwid pode se tornar um objeto do desejo do consumidor de forma muito rápida. Economia, em todos os sentidos, não faltarão, uma vez que o consumo divulgado é de, na cidade, 14,9 km/l com gasolina – potência de 66 cavalos – e a 10,5 com etanol – potência de 70 cavalos. E, claro, um preço muito convidativo em todas as suas versões: R$ 29.990 na pré-venda da versão Life; R$ 34.990 Zen, testada pela reportagem; e R$ 39.990 na versão Intense.

290 litros de porta malas: na categoria popular, dos maiores espaços é o Kwid

Um tanto quanto estreito, algo que não fará muita diferença ao consumidor com estatura normal, dentro da média, o Kwid, para completar, é bem bonito e chama positivamente a atenção. Parece um “SUVinho”, se podemos dizer assim. Porém, vale reforçar, o espaço interno, o bom porta-malas, com 290 litros, o motor e câmbio bem ajustados para a leveza do modelo, tudo isso leva a crer que, além de sucesso junto ao público, o Kwid vai fazer escola entre frotistas. Agora é aguardar para ver.

Anitta e Gil: showzaço!

Que show!

Ah, vá?! Confessa que tu tem um certo nariz virado para estrelas da música popular muito novas, que começaram de baixo e que fazem canções “chiclete” até não poder mais de tanto que grudam em seu ouvido. Mas aí a Renault, para lançar o seu Kwid, convida Gilberto Gil, monstro da MPB, para dar um pocket show e, vejam só, acompanhar Anitta! E não é que ela se saiu bem demais da conta? Assim como Gil, claro. E entre celebridades de peso – o repórter não é lá muito chegado a selfies, mas até agora se arrepende de não ter feito uma com o escritor Marcelo Rubens Paiva – e aquelas subcelebridades de sempre, concessionários e jornalistas ainda puderam curtir Anitta, após o show, discotecar por quase duas horas. Como, como a intenção do Renault é mostrar que um carro como o Kwid pode surpreender, a junção de Gil e Anitta realmente surpreendeu. Positivamente!

 

*repórter viajou a São Paulo à convite da montadora.

 

Previous O tríplex de Lula de Cedro
Next Não esqueçam desse nome: Valentina Marsalla