Com Luizão Motos no Riacho Doce


Um banho de itabaianidade e boa comida

Pense num rodízio que tem até buchada. É o Riacho Doce, em Itabaiana. Pode procurar no sistema solar se tem uma churrascaria rodízio com esse diferencial. Se achar, empata. O Riacho Doce, de Itabaiana, fica na BR entre dezenas de oficinas de caminhão e é uma das 11 ou 12 churrascarias que tem do início do município ao limite cortado pela 235.

Picanha de jegue, do Riacho Doce
O garçom que Luizão disse que deve ter irmã bonita, a buchada e o atendimento top

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O Riacho Doce é uma churrascaria com um grande salão, janelões que dão um conforto de luz ao lugar. Assim que você entra, se depara com mesas tamanho família. É você olhar pra uma pra os garçons com leitura de íris chegarem com os pratos e os espetos antes mesmo de você sentar. “Qual a preferência meu patrão?!, tem carne pra banguelo (filé) e aquela picanha de jegue (charque de cupim), aquela tripinha, buchada.. diga o que manda”. Se a gente tivesse sido teletransportado pra lá, saberia que estava em Itabaiana pelo dialeto.

[Se o evento Lá Fora Steak Park não tiver a galera do churrasco de Itabaiana pode dar meia volta.]

“Tá vendo esse garçom feio da pé, isso deve ter uma irmã bonita do canso. A irmã quer dominar o charme da casa. Já imaginou uma casa com todo mundo feio?! Não tem jeito. Ela vai ser bonita de qualquer jeito”.

Luizão: pé embaixo

A sabedoria aí é de um itabaianense ilustre que convidamos pra almoçar: Luiz, 37 anos, o Luizão Motos. Eleitor de Bolsonaro e ‘Dona Trump’, ‘o galego pé embaixo’, Luizão é torcedor do Confiança, o fí do canso mais estourado do whats, é mecânico e comentarista político – nacional e internacional – com muito mais audiência e influência que Arnaldo Jabour e aquela turma toda da Globo News junta. Com 175kg, ele tá de regime e deve levar o nome de Itabaiana aos trends muito em breve. Luizão aceitou comer um feijão tropeiro e um pão de alho com a gente “o pão de alho é melhor que a carne”.

Zé de Genaro abre o Riacho Doce de segunda à segunda. Só fecha na sexta-feira da paixão.

Se tiver a pressão alta, vá devagar na ‘picanha de jegue’. Aposte no filé no alho, na picanha e no contra-filé que é coisa fina. A tripinha na brasa também. Tem banana na brasa no Riacho Doce! Quem deve tá assistindo o ‘Perto do Fogo’, do apresentador e chef Felipe Bronze é ele. Ou então é o contrário.

Antes de ir embora, doce de leite. Cê come 3 potes fácil. E tem um doce de coco campeão também. “Homi, isso com o bonachão de Zé Patola lá perto da praça é pé embaixo”. Boa dica, Luizão.

Mas bora no shopping Peixoto que eu quero conhecer a praça de alimentação. “Homi, tem um tal de pasté lá da Jane que se butá todos os acessório nele cê deixa o carro no estacionamento empenhado”.

O rodízio na churrascaria Riacho Doce custa R$ 37, aceita dinheiro e cartões já a companhia do Luizão, essa não tem preço.

SERVIÇO
Onde:  BR-235, Av. Eduardo Paixão Rocha, 1826 – Campo Grande
Preço: Rodízio R$ 37,
Coisa boa: Atendimento
Outra coisa boa: os doces
Coisa ruim: não tem fígado, não vi cupim, nem vi toscana
Funcionamento: segunda à segunda, é pé embaixo
Estacionamento: fácil
Pra pagar: dinheiro e cartões

> OUÇA LUIZÃO COMENTANDO SOBRE O McDONALD’S E SUBWAY EM DUAS PARTES

 

Previous 32 mil motoristas sergipanos terão habilitações suspensas e frequentarão escolas de educação para o trânsito?
Next Celso Portiolli se irrita com comentários sobre sua saída do SBT