Sobe para 47 o número de homicídios na cidade


Rapazes, mortos em motocicleta, eram investigados pela PC

Apesar de a SSP ter apresentado redução de crimes nos municípios, Itabaiana continua na contramão

O segundo semestre do ano mal foi iniciado e toda a população do Estado de Sergipe ficou alarmada com a situação que sufoca todo o município itabaianense, devido aos ocorridos da última semana.
A onda de homicídios tem assustado populares, devido à forma violenta que as pessoas têm morrido em várias partes da cidade. Os crimes já não são mais algo fixo nas periferias itabaianenses, mas de qualquer lugar, como o Hospital Regional.
Parece coisa de filme, mas foi real e aconteceu na madrugada da última terça-feira, 4, quando duas pessoas foram mortas dentro da unidade hospitalar. O alvo era Gladston Wendell de Jesus, mais conhecido como Turu. Mas além de Gladston, os tiros acabaram sobrando também para o seu acompanhante, Franklin Teixeira de Jesus. Ambos tinham 21 anos.

Gladston estava internado na unidade de saúde quando foi morto

CADA CASO
Dois homens, vestidos de policiais civis entraram no hospital, alegando que precisavam falar com Turu. Ao chegarem na ala do jovem, ele foi morto, assim como seu amigo. Turu, que morava no Bairro Moita Bonita, estava internado desde o dia 29 de junho, após ter siso atingido por arma de fogo. Inclusive, a vítima já tinha passagens pelo Sistema Prisional sergipano.
Não mais assustados com a situação, populares ficaram mais chocados ainda com as três mortes que aconteceram no dia seguinte, quarta-feira, 5. No começo da noite, o Conjunto Gilton Garcia, mais conhecido como Açude Velho foi palco da morte de Arderlan Davida Miguel do Nascimento, de 21 anos. Pouco tempo depois, a Rua Percílio Andrade, próximo à Madeireira Cunha, acabou sendo o espaço dos homicídios de Flávio de Jesus Lima, de 27 anos, e de Reinan Prata Santos, mais conhecido como Xenon das Queimadas, de 21 anos.
Os dois últimos, trafegavam em uma motocicleta e quando passaram pelo logradouro, acabaram sendo atingidos por disparos de arma de fogo. E para alarmar ainda mais a situação, durante a manhã da última quinta-feira, 6, o pacato Povoado Rio das Pedras, que fica próximo a BR – 235, na Zona Rural do município, chamou a atenção pelo assassinato do carroceiro José Teles de Menezes, de 49 anos.

Arderlan era ex-presidiário com vasto histórico de crimes

INVESTIGAÇÕES EM ANDAMENTO
José estava na calçada de um amigo, sentado, quando alguns homens se aproximaram e efetuaram os disparos. O carroceiro não resistiu e morreu pouco tempo depois. O homem era agricultor e trabalhava com tração animal. Drogas? Dívidas? Acerto de contas?
No caso das mortes do hospital, até o governador do Estado chamou a atenção do secretário João Eloy, exigindo que esse caso seja investigado o mais rápido possível. Já sobre os ocorridos da última quarta-feira, a SSP/SE informou que Arderlan tinha sido liberado do Sistema Prisional há pouco tempo e possuía processos envolvendo tráfico de drogas, roubos e homicídios.
Já os jovens da motocicleta estavam sendo investigados pela Polícia Civil, que opera em Itabaiana, por envolvimento com o tráfico de drogas, homicídios e roubo de cargas na região. Quanto ao último caso, o delegado Cledson Ferreira, titular do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa – DHPP – da Regional Itabaianense, diz que ainda é cedo para dar quaisquer informações sobre o caso.

Rapazes, mortos em motocicleta, eram investigados pela PC

“A gente tem investigado os crimes e em virtude de ter acontecido essas seis mortes em uma semana, não só o DHPP, mas a Regional, com forte apoio do secretario João Eloy, além do nosso sistema de inteligência, estamos trabalhando para o quanto antes, dar uma resposta satisfatória à sociedade. A gente está bem empenhado nessas situações, mas por enquanto, não podemos entrar em detalhes”, justifica.

Previous Imagem de Nossa Aparecida
Next Manutenção preventiva

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *